Segunda feira é dia de terror para os políticos em Brasília. O CQC deixa-os APAVORADOS apenas com sua presença nas casas legislativas do país. O quadro “controle de qualidade” é bem aterrorizante. Os entrevistados não sabem nem porque estão ali. Desconhecem tudo que é perguntado sobre o meio em que eles estão. É incrível. Pode-se entender que eles não leem nada. Nem jornal diário.

Alguns se pudessem agrediriam a pobre da reporter (bem atrevidinha) mas de um humor muito forte. O CQC é um programa que revela para todos nós os mais angustiantes problemas enfrentados pela sociedade. Valores, princípios, personalidades, etc nos levam a refletir sobre nossa representação.

O “proteste já” faz revelações bombásticas.

PS>: Você gostaria que houvesse um CQC em Roraima? Quem do nosso jornalismo seria mais indicado para fazer? Qualquer profissional de adapta a esse tipo de programa? Dê sua contribuição

  1. 13 de April de 2010
    Adria Albarado

    Um CQC em Roraima seria mto divertido e útil, afinal “pautas” não faltam. Só que jornalista p/fazer isso aqui no Estado tah difícil… Talvez a molecada que faz jornalismo por aí tenha um perfil mais atrevido e menos rabo preso p/fazer um programa do tipo.

  2. 13 de April de 2010

    Ontem no CQC a deputada Angela Portela não soube responder o nome do presidente do Chile, e ainda ficou olhando de cara feia para a reporter. hehe mais uma vitima da insanidade do CQC.
    Seria bom se tivesse um programa com quadros parecidos com o do cqc. Só que não duraria muito. Liberdade de expressão aqui em Roraima é monopolizada pelos proprios politicos.Se vc falar mau de algo, vem o governo e lhe taca um processo nas costas. Existem gente sendo processada hoje até pelo twitter. Para um programa desses rolar por aqui, só se tivesse um grande padrinho ali no meio dos grandões da politica. Com certeza isso é uma ótima idéia.

  3. 13 de April de 2010

    Necessitamos evoluir mais para saber ouvir e ver críticas como as do CQC. Imagino que caminhamos para liberdade plena de imprensa com responsablidade. O programa em discussão é novo, é audacioso,é inovador. Diverte e educa.

  4. 13 de April de 2010
    Abade Júnior

    Com toda certeza um programa tipo CQC em BV daria o que falar e deixaria os políticos locais de cabelos em pé! Afinal eles seriam tratados como tratam seus eleitores, ou seja, como verdadeiros palhaços!

  5. 13 de April de 2010
    Fernando Maciel

    Um programa desse, seria uma boa, melhor… seria uma ótima. POrém, como um futuro jornalista (estudante), confesso que fica difícil de fazer isso em um estado que toda sua mídia é atrelada a algum político. Se tivéssemos um grupo de empresários, onde, fosse possível fazer programas políticos, de comédias, que pudesse falar abertamente da vida política de cada um deles, talvez ai sim, estaríamos dando um passo para a “evolução. Mas concordo com o prof: O programa em discussão é novo, é audacioso, é inovador. Diverte e educa.

  6. 12 de January de 2011

    CQC em Roraima é impossível, e por 2 motivos:
    1° que naum a reporter qualificado para tal. Aqui se formam reporteres nas coxas…
    2° que os donos das emissoras (todas) são políticos ou pessoas que dependem deste. Então amigo, vc fazer uma pergunta dessa, é até brincadeira.
    Se existisse, gostaria que eles perguntassem para vc, não o que, mas quanto te fez mudar de “princípios” no segundo turno?

  7. 12 de January de 2011

    Se o CQC viesse me fazer essa pergunta, eu diria apenas a verdade, como aliás sempre fiz na minha vida. Quando falas em “quanto” traduzo que pensas em $$. Pois saiba que não sou vendável. Quanto a decisão do segundo turno, saiba duas coisas: não sou político profissional e gosto de respeitar as opiniões dos outros para ser respeitado nas minhas. Obrigado pelo seu comentário.
    Aimberê Freitas

Comments

Post a comment

You must be logged in to post a comment.