Durante anos Roraima, só teve dois municípios: Boa Vista e Caracaraí. Depois vieram os outros e hoje são 15. É o estado de menor quantidade de municípios. Questiona-se se estes municípios deveriam ou não terem sido criados e mais ainde se se deve criar mais municípios. Sabe-se que todos esses municípios são deficitários. Vivem de pires na mão brigando por emendas parlamentares e pela manutenção do Fundo de Participação dos Municípios – FPM. Sem ele fechariam as portas. Não há vida fiscal própria. Não há arrecadação. São municípios dependentes. Mesmo a parcela do ICMS que recebem não dá para nada. A despesa é muito maior que a receita.

Por outro lado o município tem o poder local mais próximo da pessoa humana esquecida nos mais escondidos interiores de Roraima. Ela pode obter um apoio emergencial na Prefeitura para atender a uma demanda familiar na saúde, na segurança, nas comunicações, etc

Ensaia-se na Assembléia Legislativa a criação de mais municípios. Serão mais prefeitos, mais câmaras municipais, mais secretarias municipais, etc.

PS. Esse movimento pela criação de novos municípios em RR é bom ou ruim? Se for considerado bom, quais as localidades de RR que podem ser elevadas a categoria de município?

  1. 24 de April de 2010
    Milton Nascimento

    Há uns anos atrás, no governo Neudo Campos foi realizado um levantamento em várias localidades no intuito de elevá-las à categoria de municipio. Entre eles tinha Entre Rios, Nova Olinda,etc.
    Várias localidades não tinham nem como chegar, somente de barco; outra só tinha um telefone público instalado na praça central, e assim por diante.
    Criar novos muinicípios não resolve o problema, pois só terão gastos com a manutenção da máquinha pública, e outras mazelas tão bem conhecidas. Vamos ter “filhotes” para cuidar, manter e o FPM que se almeja obter com a criação de novos municipios, não vai ajudar em nada. A solução seria os nossos representantes junto ao Congresso Nacional atualizar a Lei 5172 de 1966 que define o rateio do FPM.

  2. 25 de April de 2010

    ☺ A Lei quadro da criação de municípios é a Lei n.º 142/85, de 18 de Novembro?

    ☺ A Assembleia da República, na apreciação das iniciativas que visem a criação, extinção e modificação de municípios, deverá ter em conta:

    a) A vontade das populações abrangidas, expressa através dos órgãos autárquicos representativos, consultados nos termos do artigo 5.º desta lei;

    b) Razões de ordem histórica e cultural;

    c) Factores geográficos, demográficos, económicos, sociais, culturais e administrativos;

    d) Interesses de ordem nacional e regional ou local em causa?

    ☺ Não poderá ser criado nenhum município se se verificar que as suas receitas, bem como as do município ou municípios de origem, não são suficientes para a prossecução das atribuições que lhe estiverem cometidas?

    ☺ A criação de novos municípios em áreas de densidade populacional, calculada com base na relação entre os eleitores e a área dos municípios de origem, inferior a 100 eleitores por quilómetro quadrado deverá ter em conta a verificação cumulativa dos seguintes requisitos?:

    a) Na área da futura circunscrição municipal, o número de eleitores nela residentes será superior a 10000;

    b) A área da futura circunscrição municipal cuja criação é pretendida será superior a 500 km2;

    c) Existência de um aglomerado populacional contínuo que conte com um número mínimo de 5000 eleitores;

    d) Posto de assistência médica com serviço de permanência;

    e) Farmácia;

    f) Casa de espectáculos;

    g) Transportes públicos colectivos;

    h) Estação dos CTT;

    i) Instalações de hotelaria;

    j) Estabelecimentos de ensino preparatório e secundário;

    l) Estabelecimentos de ensino pré-primário e infantário;

    m) Corporação de bombeiros;

    n) Parques e jardins públicos;

    o) Agência bancária.

    ☺ A criação de novos municípios em áreas com densidade populacional que, calculada com base na relação entre os eleitores e a área dos municípios de origem, for igual ou superior a 100 eleitores por quilómetro quadrado e inferior a 200 eleitores por quilómetro quadrado deverá ter em conta a verificação cumulativa dos seguintes requisitos?:

    a) Na área da futura circunscrição municipal, o número de eleitores nela residentes será superior a 12000;

    b) A área da futura circunscrição cuja criação é pretendida será superior a 150 km2;

    c) Existência de um aglomerado populacional contínuo que conte com um número mínimo de 5000 eleitores;

    d) Posto de assistência médica com serviço de permanência;

    e) Farmácia;

    f) Casa de espectáculos;

    g) Transportes públicos colectivos;

    h) Estação dos CTT;

    i) Instalações de hotelaria;

    j) Estabelecimentos de ensino preparatório e secundário;

    l) Estabelecimentos de ensino pré-primário e infantário;

    m) Corporação de bombeiros;

    n) Parques e jardins públicos;

    o) Agência bancária.

    ☺ A criação de municípios em áreas com densidade populacional, calculada com base na relação entre o número de eleitores e a área dos municípios de origem, igual ou superior a 200 eleitores por quilómetro quadrado e inferior a 500 eleitores por quilómetro quadrado deverá ter em conta a verificação cumulativa dos seguintes requisitos?:

    a) Na área da futura circunscrição municipal, o número de eleitores nela residentes será superior a 12000;

    b) A área da futura circunscrição cuja criação é pretendida será superior a 30 km2;

    c) Existência de um aglomerado populacional contínuo que conte com um número mínimo de 5000 eleitores residentes;

    d) Posto de assistência médica com serviço de permanência;

    e) Farmácia;

    f) Casa de espectáculos;

    g) Transportes públicos colectivos;

    h) Estação dos CTT;

    i) Instalações de hotelaria;

    j) Estabelecimentos de ensino preparatório e secundário;

    l) Estabelecimentos de ensino pré-primário e infantário;

    m) Corporação de bombeiros;

    n) Parques e jardins públicos;

    o) Agência bancária.

    ☺ A criação de municípios em áreas de densidade populacional, calculada com base na relação entre o número de eleitores e a área dos municípios de origem, igual ou superior a 500 eleitores por quilómetro quadrado deverá ter em conta a verificação cumulativa dos seguintes requisitos?:

    a) Na área da futura circunscrição municipal, o número de eleitores nela residentes será superior a 30000;

    b) A área da futura circunscrição cuja criação é pretendida será superior a 30 km2;

    c) Existência de um centro urbano, constituído em aglomerado contínuo, com um número mínimo de 10000 eleitores residentes e contando com os seguintes equipamentos colectivos?:

    Posto médico com serviço permanente; Farmácia; Mercado; Casa de espectáculos; ransportes públicos colectivos; Estação dos CTT; Instalações de hotelaria; Estabelecimentos de ensino preparatório e secundário; Estabelecimentos de ensino pré-primário; Creche-infantário; corporação de bombeiros; Agência bancária; Parque e jardim público; Recinto desportivo.

    ☺ O novo município a criar deve ter fronteira com mais de um município, caso não seja criado junto à orla marítima ou à fronteira com país vizinho, e ser geograficamente contínuo?

    ☺ O projecto ou proposta de lei de criação de nove município deverá obter parecer favorável das assembleias das freguesias a integrar no novo município?

    ☺ A Assembleia da República ou o Governo, conforme o caso, ouvirão os órgãos das autarquias interessadas, que se pronunciarão no prazo de 60 dias?

    ☺ As deliberações a que respeitam as consultas de que trata este artigo são tomadas pela maioria absoluta do número de membros em efectividade de funções nos respectivos órgãos?

    ☺ É proibido criar, extinguir ou modificar territorialmente municípios nos 6 meses anteriores ao período em que legalmente devam realizar-se eleições gerais para qualquer órgão de soberania, das regiões autónomas e do poder local?

    ☺ No caso de eleições intercalares, a proibição prevista no número anterior abrange todo o período posterior ao facto que as determinar até à realização do acto eleitoral e, tratando-se de órgãos da região autónoma ou do poder local, reporta-se apenas a municípios envolvidos no processo de criação, extinção ou modificação territorial?

    ☺ Admitidos o projecto ou proposta de lei, o Presidente da Assembleia da República ordenará a instauração do processo no âmbito da respectiva comissão parlamentar?

    ☺ A abertura nos termos do número anterior será comunicada ao Governo, para que este, nos 90 dias seguintes, forneça à Assembleia da República, sob a forma de relatório, os elementos susceptíveis de instrução do processo de acordo com o que se dispõe nesta lei?

    ☺ O relatório a que se refere o número anterior será elaborado por uma comissão apoiada tecnicamente pelos serviços competentes do Ministério da Administração Interna, presidida por representante deste Ministério e integrada por membros indicados pelas juntas das freguesias previstas para constituírem o novo município, pela câmara ou câmaras municipais do município ou municípios de origem e ainda por representantes da Inspecção-Geral de Finanças e do Instituto Geográfico e Cadastral, a nomear pelo Ministro das Finanças e do Plano?

    ☺ O relatório incidirá, nomeadamente, sobre os seguintes aspectos?:

    a) Viabilidade do novo município e do município ou municípios de origem;

    b) Delimitação territorial do novo município, acompanhada de representação cartográfica em planta à escala de 1:25000;

    c) Alterações a introduzir no território do município ou municípios de origem, acompanhadas de representação cartográfica em escala adequada;

    d) Indicação da denominação, sede e categoria administrativa do futuro município, bem como do distrito em que ficará integrado:

    e) Discriminação, em natureza, dos bens, universalidades, direitos e obrigações do município ou municípios de origem a transferir para o novo município;

    f) Enunciação de critérios suficientemente precisos para a afectação e imputação ao novo município de direitos e obrigações, respectivamente.

    ☺ O relatório será ainda instruído com cópias autenticadas das actas dos órgãos das autarquias locais envolvidas?

    ☺ A lei criadora do novo município deverá:

    a) Determinar as freguesias que o constituem e conter, em anexo, um mapa à escala de 1:25000, com a delimitação da área do novo município e a nova área dos municípios de origem;

    b) Incluir os elementos referenciados nas alíneas d), e) e f) do n.º 1 do artigo anterior;

    c) Consagrar a possibilidade de nos 2 anos seguintes à criação do município poderem os trabalhadores dos demais municípios, com preferência para os dos municípios de origem, requerer a transferência para lugares, não de direcção ou chefia, do quadro do novo município até ao limite de dois terços das respectivas dotações;

    d) Definir a composição da comissão instaladora;

    e) Estabelecer o processo eleitoral?

    ☺ Após a publicação da lei de criação do novo município, caberá à comissão referida no n.º 3 do artigo 7.º viabilizar a partilha de patrimónios e a determinação de direitos e de responsabilidades, dentro dos critérios orientadores definidos no artigo seguinte, mas sem prejuízo do que sobre as mesmas matérias se disponha especialmente na lei de criação?

    ☺ Os documentos elaborados pela comissão nos termos deste artigo deverão ficar concluídos nos 60 dias seguintes à publicação da lei de criação e serão objecto de aprovação pelas câmaras municipais e pela comissão instaladora do novo município?

    ☺ A transmissão de bens, universalidades, direitos e obrigações para o novo município efectua-se por força da lei que o criar, sendo o registo, quando tenha lugar, lavrado mediante simples requerimento instruído com os documentos referidos no número anterior?

    ☺ Todos os serviços já existentes na área do novo município passam de imediato após a entrada em vigor da lei de criação, a ser dirigidos pela comissão instaladora, sem prejuízo da manutenção do apoio em meios materiais e financeiros dos municípios de origem indispensáveis à continuidade do seu funcionamento e até que sejam formalmente recebidos por aquela comissão?

    ☺ Consideram-se em vigor na área do novo município todos os regulamentos municipais que aí vigoravam à data da criação, cabendo à comissão instaladora, no caso de regulamentação proveniente de mais de um município, deliberar sobre aquela que passa a ser aplicada?

    ☺ A criação de um novo município implica a realização de eleições para todos os órgãos dos diversos municípios envolvidos, salvo se a respectiva lei for publicada nos 12 meses anteriores ao termo do prazo em que legalmente se devem realizar as correspondentes eleições gerais?

    ☺ A data das eleições intercalares, o calendário das respectivas operações de adaptação dos cadernos de recenseamento e as operações eleitorais serão fixados pelo órgão competente no prazo máximo de 30 dias após a entrada em vigor da lei?

    ☺ Salvo o que especialmente se dispuser na lei de criação, a partilha de patrimónios e a determinação de direitos e responsabilidades atenderá aos seguintes critérios orientadores?:

    a) Transmissão para a nova autarquia, sem prejuízo do disposto na alínea f), de uma parte da dívida e respectivos encargos dos municípios de origem, proporcional ao rendimento dos impostos ou taxas que constituam, nos termos da lei, receita própria dos municípios;

    b) Transferência para o novo município do direito aos edifícios e outros bens dos municípios de origem situados na área das freguesias que passam a integrar a nova autarquia;

    c) Transferência para o novo município das instalações da rede geral dos serviços pertencentes ou explorados pelos municípios de origem situados na área das freguesias que passam a integrar a nova autarquia, salvo tratando-se de serviços indivisíveis por natureza ou estrutura e que aproveitem às populações de mais de uma autarquia, caso em que os municípios interessados se associarão por qualquer das formas previstas na lei para a sua detenção e exploração comum;

    d) Transferência para o novo município do produto, e correspondentes encargos, de empréstimos contraídos para a aquisição, construção ou instalação dos bens e serviços;

    e) Transferência para o novo município do pessoal adstrito a serviços em actividade na sua área e ainda daqueles que passam a caber-lhe.

    ☺ Em todas as demais situações em que hajam de determinar-se direitos ou obrigações serão estes apurados proporcionalmente ao número de eleitores inscritos à data da criação?

    ☺ Com vista a proceder à implantação de estruturas e serviços, funcionará, no período que decorrer entre a publicação da lei e a constituição dos órgãos do novo município, uma comissão instaladora, que promoverá as acções necessárias à instalação daqueles órgãos e assegurará a gestão corrente da autarquia?

    ☺ A comissão instaladora será composta por 5 membros designados pelo Ministro da Administração Interna, que tomará em consideração os resultados eleitorais globais obtidos pelas forças políticas nas últimas eleições autárquicas realizadas para as assembleias das freguesias que integram o novo município, aplicando-se, com as necessárias adaptações, o disposto no artigo 10.º da Lei n.º 11/82, de 2 de Junho?

    ☺Ao Ministério da Administração Interna competirá assegurar as instalações e os meios materiais e financeiros necessários à actividade da comissão instaladora?

    ☺ A presente lei é aplicável a todos os projectos e propostas de lei de criação de novos municípios pendentes na Assembleia da República?

    ☺ A aplicação da presente lei às Regiões Autónomas dos Açores e da Madeira depende da publicação de normas especiais que tomem em conta o particular condicionalismo, geográfico e populacional dos correspondentes arquipélagos?

  3. 26 de April de 2010

    Se a própria capital não consegue se manter com FPM,imagine um município que acaba de ser criado.

  4. 26 de April de 2010
    FIRMINO DANTAS

    NOSSA DOUTRINA DIZ-NOS QUE NOSSA FEDERAÇÃO É TRIDIMENSIONAL, OU SEJA, É FORMADA DE : UNIÃO ,ESTADOS E MUNICÍPOS ( O D.F É HÍBRIDO).

    Desta forma, é essencial para o desenvolvimento de um país a existência de um município forte e atuante, tendo em vista que é Ele, o município, que está em contato com o o administrado, fornecendo-lhes o apoio que deve o atual Estado democrático social fornecer.

    É claro que deve haver uma viabilidade fiscal para a mantença e existência deste ente federativo, pois não se justifica que se criem apenas por capricho ou para o fomento de empregos para os apadrinhados políticos dos exercentes do poder.

    Entretanto, existe uma´peculiaridade que não deve ser esquecida , principalmente quando se fala de municípios ínsitos em áreas de pouca densidade demográfica, como sói acontecer na floresta amazônica.

    Neste caso, a implantação de uma cidade vai gerar uma sintese de benesses que transpassam a simples conta exigida pela LEI DE RESPONSABILIDEDE FISCAL, porque vai proporcionar o atendimento daquelas pessoas que necessitam de uma proximidade maior com a Administração , fato este que somente se perfaz com a existência de uma prefeitura, seus postos de saúde, e escolas de pequena envergadura, além de servir como um pólo de representatividade da própria federação.

    Assim, não é condição “sine qua non” para a existência de um município o simples equilibrio de viabilidade e sim um plexo de fatores que venham a corroborar para a dignidade da pessoa humana, valor este que permeia todo o ordenamento jurídico e até o direito natural.

  5. 30 de April de 2010

    Sinceramente não gosto da idéia de novos municípios exatamente pelos fatos mencionados… déficit publico, dificuldades de conseguir prestar boa assistência seja na saúde, seja na educação e saneamento, população pequena… Melhor investir nos municípios que já existem.

Comments

Post a comment

You must be logged in to post a comment.