Em homenagem ao  internauta e comentarista desse Blog Ronaldo Uchoa, trato hoje da situação das calçadas públicas no Brasil. Moramos em Boa Vista – Roraima e podemos usar essa nossa cidade, como exemplo de descaso com as calçadas brasileiras.

Nas partes mais nobres das cidades mais ricas, as calçadas até que são respeitadas. Av. Paulista, em São Paulo, calçada larga, bem cuidada, sinalizada, limpa. Uma beleza. O calçadão de Copacabana, no Rio de Janeiro são exemplos positivos. Outros existem em outras cidades em várias regiões do Brasil. Mas são exemplos localizados

Na medida que a pobreza vai aumentando as calçadas vão piorando. Em Boa Vista, então, é uma lástima. A calçada não pertence ao dono do terreno contíguo. Ela é pública. Não pode, por exemplo, o sujeito estacionar carro sobre a calçada. Ela é destinada ao trânsito de pedestres. O indivíduo que seja um cadeirante em Boa Vista não pode ir com sua cadeira de rodas a lugar algum: as rampas não prestam, as poucas calçadas são irregulares (uma altas outras baixas), estão cheias de lixo  ou mesmo de carros estacionados. Um horror.

A Prefeitura até ensaia a questão de coibir os estacionamentos irregulares sobre as calçadas. Mas é só arranque e pára. Neste momento qualquer um pode dar uma volta pelas ruas da cidade e constatar o que estou aqui dizendo: a calçada está tomada de obstáculos.

Nas ruas dos bairros então é uma calamidade. Neles não há nem calçada. Só mato e lixo. Eu tenho uma sugestão: colocar as autoridades responsáveis por esse tema em cadeiras de rodas e mandar que elas se locomovam pelas ruas de Boa Vista. Só assim tomam consciência que a acessibilidade é ímportantíssima mas em Boa Vista ela é muito dificultada e precisa melhorar. E logo.

PS Como estão as calçadas de sua cidade? Se você é cadeirante, o que caha das calçdas brasileiras? E Boa Vista – Roraima como está em relação às suas calçadas?

  1. 30 de April de 2010
    Milton Nascimento

    A calçada em Roraima é feita para se estacionar véículos de qualquer porte, colocar mesas de bar, placas de propaganda, lixo e até servir de estacionamento para bicicleta, como é o caso da casa lotérica da Ataíde Teive em frente à City Lar. As coisas só funcionam quando se mexe no bolso. Portanto,a Prefeitura deve parar com a sua pseudo-ficalização e acabar com o rebaixamento das calçadas, multar quem estaciona em cima delas, multar o comerciante conivente. Se não vamos continuar sempre do jeito que está. O pedestre é o que vota!! Mas quem liga para ele fora do periodo eleitoral? E como é que fica, então a situação enquanto nada se faz a respeito? O pedestre? Ele que desça para o meio fio arriscando ser atropelado pelos nossos afoitos motoristas. E o cadeirante? Como diria Zélia Cardoso de Melo; O cadeirante é apenas um detalhe!

  2. 30 de April de 2010
    samir de castro hatem

    Caro Aimberê,

    Mais um belo tema pra discutirmos a cidadania em nossa terra em nossa capital.

    A mudança de hábitos dos municipes nunca foi fácil(e me incluo entre eles), mas se queremos ter uma cidade cada vez mais moderna, cada vez mais bela temos que persistir nessas mudanças de atitudes.

    Penso que se melhorarmos o uso das calçadas conscientizando os moradores que as mesmas devem ser cuidadas reparadas e utilizadas adequadamente, permitindo que os habitantes da cidade possam circular através delas inclusive os portaodres de necessidades especiais o que também já está previsto em lei.

    Mostraremos ao Brasil e ao mundo que Boa Vista caminha cada vez maisrumo ao desenvolvimento, Temos belos espaços a serem cuidados a Av Glaycon de Paiva do centro Civico ao Aeroporto trecho nobre de nossa bela capital que deve ser cuidado com a poda permanente de árvores visando a segurança noturna daqueles que caminham nas calçadas, a praça das águas e o Portal do Milênio o Parque Anauá com calçadas extensas dentre outras que tem merecido a atenção dos Governos.

    No entanto nós municipes devemos observar a nossa importante responsabilidade conservando as calçadas em frente as nossas residencias, comércios etc… Evitando o mau uso como lembrado em seu artigo acima, evitando o estacionamento de veiculos, o avanço de puxadinhos ou a colocação de qualquer obstáculo que dificulte a circulação sobre as mesmas.

    Vamos persistir! Na época em que fui Secretário de Finanças de Boa Vista havia um incentivo para construção das calçadas que era descontado do IPTU dos imóveis, não tenho certeza se esse instrumento de incentivo para construção das mesmas ainda existe mas sempre concordei que era uma importante ferramenta para o embelezamento de nossa Boa VIsta.

    Grande abraço

    Samir Hatem

  3. 30 de April de 2010

    Em primeiríssimo lugar, agradeço por mencionar-me neste post.

    Gostaria de lembrar-vos que, não somente nos bairros, tais calçadas deixam de existir. Isso percebe-se em QUALQUER LUGAR nesta capital! Na própria Ville Roy, tida como uma das principais avenidas, podemos perceber a falta das mesmas. Concluem-se num aglomerado de terra, que quando venta só serve pra levantar poeira… e quando chove, só pra empoçar!!!
    Quanto a questão de estacionamento, todos sabemos que é errado, contudo não restam outras alternativas. Não existem estacionamentos nesta cidade. Não é uma cultura local. As pessoas ainda não se deram conta de que Boa Vista já não é tão pequena assim. Infelizmente é uma pena essa prática, mas ela só deixará de existir no momento que existirem soluções concretas.
    Já os PPNE´s, PESSOAS PORTADORAS DE NECESSIDADES ESPECIAIS (digo isso porque não somente os cadeirantes sofrem pela falta de acessibilidade) estes estão longe (pelo visto) de receber a devida atenção! Vou além… uma senhora de idade por exemplo, não pode se deslocar com comodidade ao ter que numa mesma calçada subir, descer, pular poças d’água e INCLUSIVE deslocar-se para a rua para transitar. O direito de ir e vir está sendo violado (risos).
    No final das contas, o que resta é a indignação dos que aqui partilham suas idéias. Continuo me questionando: O que podemos nós fazer para receber atenção daquele que estão onde estão para saciar nossos anseios???
    Estamos caminhando, sempre em frente. Um dia quem sabe, chegaremos lá!

    Grande abraço!

Comments

Post a comment

You must be logged in to post a comment.