O texto é do caro amigo Ronaldo Uchôa, acadêmico de Direito, jovem, culto e inteligente que nos brinda, hoje, com essa inquietante questão da Cultura em Roraima

Primeiramente gostaria de agradecer pelo espaço. E como não posso fazer feio, não aqui. Comecemos pela cultura nesta capital!

A falta de cultura de tantas as formas afeta o crescimento intelectual individual e, porque não dizer, coletivo.

Um ponto que chama atenção está relacionado à música. Sabemos que os estilos musicais que mais agradam os roraimenses (ou aqueles que adotaram esta capital para residir) são o forró e a música sertaneja.  Até o Reggaeton, proveniente do nosso vizinho ao norte é um estilo de música muito ouvido aqui. Quando não são esses, o que “rola” é música norte-americana em boates.

A dúvida é: O que mais? Só existem esses estilos?

Boa Vista é uma capital que abriga, na sua grande maioria, pessoas provenientes de outros estados. Cadê a cultura? Quanto teremos que esperar para que existam obras sociais nesse sentido? O povo não sente falta de visitar um teatro? Um museu? De um show de MPB, ao invés dos inúmeros e repetitivos shows de forró ou sertanejo?

A música brasileira é riquíssima. Na verdade, a música, por si só é um grande instrumento. Li certa vez uma frase muito bonita que dizia: “A música é o remédio da alma triste”. Pura verdade.

Através dela, reconfortamos e revigoramos o espírito. Um instrumento tão poderoso que muitos sequer dão valor. Não importa, no final das contas, o que você gosta de ouvir, contanto que ouça.

Em minha opinião, poderíamos ter muito mais em Boa Vista. E vocês, o que pensam a respeito? O que acham que faz falta em nossa capital?

  1. 10 de May de 2010
    Milton Nascimento

    Meu caro Ronaldo, voce está coberto de razão. Os eventos aqui realizados, a maioria traz música sertaneja ou forró. De vez em quando, um empresário traz algo diferente, como por exemplo, Belchior, Pholhas e outros mais.Todos os eventos que não forró e sertanejo, lotaram o local do evento. O povo quer algo diferente, quer curtir outro tipo de música, independentemente do artista. E lota os shows porque é outro tipo de musica, senão as citadas no seu artigo. Como para o empresário o lucro é a meta e esses sertanejos e bandas de forró dão lucro… Toda arte não é composta de um só estilo.
    Na nossa própria Boa Vista temos bandas “polivalentes” que nada ficam devendo às de outros estados. Chega a hora em que o empresário tenha mais ousadia em investir em divertimento diversificado. Nós brasileiros apostamos em tudo, menos em cultura. Parabéns pela sua colocação.

  2. 10 de May de 2010

    Bom dia,

    Gostaria de deixar claro, que minha intenção, não foi a de discutir gosto musical. Pelo contrário, fomentar cultura é a finalidade.
    Cresci ouvindo vários estilos musicais. E tenho por convicção, que todos devemos ter esse prazer. Ser eclético. Isso não significa, que deve-se gostar de tudo. Eclético não é isso. É aquele que gosta um pouco de vários estilos.
    Enfim, foquei na música. Porém temos uma enorme deficiência em vários aspectos.
    Espero comentários que busquem sinalizar possíveis possibilidades para sanar tal problema.
    Busquemos tais melhorias. Busquemos conhecimento. Garanto que dessa forma, conseguimos tornar nossas vidas mais agradáveis.

    Uma ótima semana pra quem fica.

    Grande abraço.

  3. 18 de May de 2010

    Cultura em baixa, por aqui também, no Tocantins. Sou a favor da diversidade desde que tenha um valor razoável (letras, principalmente letras). Os ritmos de cada região não poderiam ficar em uma linha abaixo dos ritmos que as “massas” enganadas pela mídia privilegiam.

    Mas estamos tentando, sempre, que podemos, divulgar mais a cultura de nossa região.

    Jefersandro Jácome: professor e vocalista da Mr. Frog Rock Band.

Comments

Post a comment

You must be logged in to post a comment.