Nos últimos anos assistimos uma choradeira dos diabos tanto do governo do Estado quanto dos municípios pela diminuição dos repasses constitucionais dos Fundos FPE e FPM para Roraima. Acusam Lula de ter feito festa com dinheiro dos outros (no caso o festival de incentivo fiscal, com descontos de IPI para veículos e outros itens a mais) e isso fez diminuir o bolo da distribuição dos Fundos.

Na verdade a origem dessa choradeira vem desde o último censo do IBGE quando constatou a diminuição da população ou pelo menos, no caso de RR, a diminuição do ritmo de seu crescimento populacional.

Aproxima-se novo trabalho do IBGE-2010. As prefeituras estão dispostas a colaborar com o pessoal do IBGE? Será que o ritmo do crescimento populacional continua diminuindo?

P.S.: No seu ponto de vista, o que está acontecendo? E o que deve ser feito? Como fica a economia de contra-cheque? E a economia real?

  1. 24 de May de 2010
    Abade Júnior

    Olá professor!
    Muito fácil ficar colocando sempre a culpa dos problemas do estado e dos municípios no tal repasse, ao invés de ficar promovendo a choradeira ridícula deveriam promover a produção, a industrialização o comercio e os serviços, para gerar mais tributos e empregos e tirar a população dessa situação de reféns da maquina pública!
    O contribuinte esta sendo extorquido! Impostos estão sendo usados para manter os currais eleitorais ao invés de promover o desenvolvimento e progresso.
    Já esta mais que na hora!
    O povo deve acordar e ir trabalhar. Não ficar esperando que o estado ou município arrume um emprego ou promova mais concursos públicos e nem ficar sustentando a população miserável com programas assistencialista! A população vive numa situação de pânico sem coragem de investir, de arriscar seu próprio capital.

  2. 24 de May de 2010

    meu caro
    Aqui no Marajó, a economia dos municípios é movimentada pelos repasses constitucionais. melhorou no Governo Lula com o aumento do Bolsa-familia e com o seguro defeso para pescadores artezanais. tem cidade que o seguro é a segunda fonte de renda no município.
    Em São Sebastião da Boa Vista, tem 5mil pescadores cadastrados na colônia e nenhum peixe no mercado municipal.
    Um abraço

  3. 24 de May de 2010
    Ronaldo Bezerra

    Não sei como é feito esses repasses do FPE e FPM, mas o que se vê nos dados econômicos e matemáticos são outros, foi constatado o número de veículos no nosso Estado teve um aumento considerável durante os últimos 5 anos, isso se deve ao nível de renda dos roraimenses. Em relação ao número de habitantes somente o IBGE através do censo 2010, poderá confirmar tal afirmação, mas creio que deve haver algum fator que ocasionou essa diminuição desses fundos, que tanto questionam os gestores público.
    Aqui tá fácil de obter esses dados, população, renda e outros. Temos 15 municipios uma população pequena em relação aos outros Estados, e vê realmente se está tudo como determina a lei para o repasse, observando qual, ou quais os critérios utilizados para a distribuição.

  4. 24 de May de 2010

    Trabalho com a equipe responsável pelas ações judiciais do FPM, e creio que tudo seja uma questão política, várias vezes, nos vimos boicotados por “pessoas” de Brasília. Decisões demoradas, processos na iminência de julgamento serem arquivados, procedimentos jurídicos desnecessários, perícias mal concluidas, fazem parte do nosso cotidiano! Quando conseguimos uma vitória como esta, ficamos altamente regozijados.

  5. 24 de May de 2010

    Aimberê, A verdade é que o Brasil está de cabeça para baixo e como disse o Abade Junior o povo tem que acordar, se especializar ir em busca do trabalho. O Brasil carrega peso dos consensos trazidos por
    Fernando Henrique que se não bastasse expropriou o Brasil aonde o expropriador leva para fora nossos minérios e beneficiados pela maldita Lei KANDIR sancionada também na gestão FHC. O que fica para o Brasil? o Lixo, a contaminação.
    Aimberê, sobre os dados estatísticos emitidos pela CNBB de São Paulo com relação a quantidade de índios em Raposa Serra do Sol, peço-lhe me informar aonde obtenho informação confiável, abraços / Marilda

  6. 25 de May de 2010
    Milton Nascimento

    Minha cara Marilda Oliveira, O caso do FPM do municipio de Boa Vista nada tem a ver com o governo FHC ou qualquer outro. Nem com lixo, contaminação. Como diz acima Giovani Velasco, é de fato problema politico e e sobretudo, de orçamento. Sem contar que a lei que dita os critérios para essa distribuição é uma lei de 1966. Quem deve procurar atualiza-la? Esse imbroglio é meio complicado por quem não conhece do assunto, pois a realidade não é o que se retrata. O que acontece no final de contas, é que o TCU está transferindo a Boas Vista, o que realmente a lei determina e não os valores que a prefeitura recebe através de liminares desde 2001.

  7. 25 de May de 2010
    Milton Nascimento

    Fora o assunto FPM informo a Marilda Oliveira que no site http://www.seplan.rr.gov.br tem o “Anuário Estatistico RR em Nº” no quel voce vai achar uma tabela da população indigena na Rapos Serra do Sol. De antemão, lhe informo que os dados das diversas instituiçoes que atuam nessa area, são divergentes quanto a população indigena em Roraima, agravado que para o indio não existe fronteira. Ele vai morar onde bem entende.

  8. 31 de May de 2010

    Milton Nascimento, Esse imbroglio é meio complicado por quem não conhece do assunto, pois a realidade não é o que se retrata.Eu digo: põe complicado nisso. Agradeço a dica da seplan.

Comments

Post a comment

You must be logged in to post a comment.