Trato hoje da situação das calçadas públicas no Brasil. Moramos em Boa Vista – Roraima e podemos usar essa nossa cidade, como exemplo de descaso com as calçadas brasileiras.

Observa-se que nas partes mais nobres das cidades mais ricas, as calçadas até que são respeitadas. Exemplos: Av. Paulista, em São Paulo, calçada larga, bem cuidada, sinalizada, limpa. Uma beleza. O calçadão de Copacabana, no Rio de Janeiro são exemplos positivos. Outros existem em outras cidades em várias regiões do Brasil. Mas são exemplos localizados

Quando a pobreza vai aumentando as calçadas vão piorando. A calçada não pertence ao dono do terreno contíguo. Ela é pública. Não pode, por exemplo, o sujeito estacionar carro sobre a calçada. Ela é destinada ao trânsito de pedestres. O indivíduo que seja um cadeirante em Boa Vista, ou em qualquer outra cidade do Brasil não pode ir com sua cadeira de rodas a lugar algum: as rampas não prestam, as poucas calçadas são irregulares (uma altas outras baixas), estão cheias de lixo  ou mesmo de carros estacionados. Um horror.

As Prefeituras até ensaiam coibir os estacionamentos irregulares sobre as calçadas. Mas é só arranque e pára. Neste momento qualquer um pode dar uma volta pelas ruas de sua cidade e constatar o que estou aqui dizendo: a calçada está tomada de obstáculos.

Nas ruas dos bairros então é uma calamidade. Neles não há nem calçada. Só mato e lixo. Eu tenho uma sugestão: colocar as autoridades responsáveis por esse tema em cadeiras de rodas e mandar que elas se locomovam pelas ruas da cidade. Só assim tomam consciência que a acessibilidade é importantíssima, mas ela é muito dificultada e precisa melhorar. E logo.

PS. Como estão as calçadas de sua cidade?

Se você é cadeirante, o que acha das calçadas brasileiras?

  1. 25 de January de 2011

    Os cadeirantes sofrem mais. Mas os pedestres também são vítimas deste descaso. A saída é utilizar a pista para caminhar.
    Ao que parece, não há regra, plano diretor, lei, ou qualquer coisa que direcione e controle as construções de imóveis, seja residencial ou comercial, em todas as cidades do Brasil.
    Moro em Coari, interior do Amazonas. E se em Manaus é assim como Boa Vista, nem precisa comentar sobre as cidades do interior daqui.
    Apoio a ideia de “encadeirar” as autoridades

    • 25 de January de 2011

      Claro. Muito mais. E não deveria ser assim. É só ter calçada acessível. Não é?
      Obrigado pelo comentário
      Aimberê

  2. 25 de January de 2011

    Essa situação é lamentável. E não vejo como possa melhorar. A título de melhoria em suas fachadas, muitos estabelecimentos comerciais modificam as calçadas, criando desníveis e colocando pisos que quando molhados se tornam escorregadios. Um verdadeiro terror para idosos, cadeirantes, crianças e até para nós adultos.

    Quanto aos carros, na rua do meu apartamento no Rio de Janeiro havia sempre um grande número de carros estacionados nas calçadas, fazendo com que os pedestres tivessem de se expor ao risco de andar pelas ruas. Depois de algumas tentativas de resolver a questão pacificamente e com o uso da lei, resolvi o problema com o bom e velho TERRORISMO. Com uma faca de caça afiadíssima, passei a cortar os pneus de um carro estacionado na calçada a cada madrugada, deixando um aviso sobre o estacionamento irregular. Um detalhe: eu não cortava um pneu, mas todos. Com isso o dono tinha um prejuízo significativo e hesitava em estacionar irregularmente novamente. Bastaram alguma semanas para as calçadas ficarem desimpedidas.

    Simples não? O que não pode ser resolvido por bem, tem de ser resolvido. E pronto.

    • 25 de January de 2011

      E o fez muito bem. Não incentivamos o chamado por você de Terorismo, mas as vezes só isso funciona.
      Obrigado pelo seu comentário
      Aimberê Freitas

  3. 25 de January de 2011

    Se as cidades brasileiras tivessem e, claro, levassem a sério algo chamado Plano Diretor, o problema não existiria. Agora, como no Brasil muita coisa não é levada no sentido de ser público, a Res Publica, e sim como privado, assim acontece com as calçadas.

    • 25 de January de 2011

      Mas cabe a nós, povo fazer valer o que dizem que não vale. Certo? Mudar para melhor deve ser nosdso lema. Obrigado pelo seu comentário.
      Aimberê

  4. 25 de January de 2011

    Gostaria muito de falar algo sobre calçadas, mas moro em Manaus e aqui elas não existem.

    • 25 de January de 2011

      Epa!!! Aí tem até um Restaurante chamado Calçada Alta, não é? Brincadeira. Manaus precisa ser reformulada, pois calçada é dignidade.
      Obrigado pelo seu comentário.
      Aimberê

  5. 25 de January de 2011
    Jailson Sá

    Na minha cidade onde existem calçadas foi a população que o fizeram. Aqui a prefeitura abandonou até as ruas e avenidas, imagine as calçadas.

    • 25 de January de 2011

      Rapaz, a situação é grave por aí. Hein!
      Qual é nome da tua cidade?
      Obrigado pelo seu comentário
      Aimberê Freitas

  6. 26 de January de 2011

    Em muitas cidades brasileiras ainda existe este problema de falta de acessibilidade para as pessoas que possuem deficiencia fisica.
    Sou de são josé dos campos – Sp e a prefeitura possui otimas politicas de integração social

    • 26 de January de 2011

      Pelo menos na sua cidade. Pois na maioria nada sobra de politicas publicas para dos deficientes.
      Obrigado pelo comentãrio
      Aimbere

  7. 28 de January de 2011
    Rosa Franco

    Moro em uma cidade pequena e do interior de MT. A coisa aqui não é nada diferente. O problema está bem estampado, mas infelizmente nossos governantes só fazem alguma coisinha em época de eleição.Fora isso esquecimento total.A acessibilidade aqui é bem precária e
    defasada.Alegam falta de verbas.Pode?
    Obrigado pelo comentário
    Ambiere

    • 28 de January de 2011

      Obrigado Rosa, a situação parece ser geral nas cidades médias e pequenas de todo o Brasil.
      Precisamos cobrar mais de nossos municipalistas administradores.
      Aimberê Freitas

  8. 13 de February de 2011
    Wirlande da Luz

    Olá! Professor.
    O problema de acesso às calçadas está em todos os bairros da cidade.
    Vejamos: Todo comerciante ou empresário quando instala seu negócio, a primeira coisa que ele faz é rebaixar o meio fio e fazer o seu estacionamento na calçada. Alguns até colocam placas de exclusivo para clientes ou exclusivo do proprietário. Na minha rua (moro onde morava sua irmã Licinha) tem um cidadão que plantou uma árvore(cibipiruna)na sua calçada, que dá uma excelente sombra, e colocou uma placa (pregada na árvore):”Não estacione, estacionamento exclusivo do proprietário”.É mole?
    Na maioria das manções do Caçari, River Park e Paraviana, os proprietários fizeram das calçadas seus jardins particulares, impedindo qualquer acesso de cadeirantes ou não.
    No centro da cidade, nos arredores do BB e INSS, é impossível caminhar pelas calçadas, estão todas ocupadas por veículos, por disque entulho e outros.
    Augusto Cury (médico psiquiatra e escritor)no seu romance “O Futuro da Humanidade” tem um personagem que vivia perambulando pelas ruas,que dizia para o seu interlocutor: “Se um extra terrestre fizesse um sobre voo, pela nossas cidades, eles certamente pensariam que os carros eram os humanos e os humanos eram carros.
    Um forte abraço e um bom domingo.

    • 13 de February de 2011

      Concordo com você. Sei que esse é um problema nacional. Qualquer didade tem seus pecados, mas Boa Vista está na frente desses obstáculos. As rampas foram uma tentativa de favorecer os cadeirantes, mas não creio que sejam eficientes. E não basta apenas uma política pública ou uma decisão de alguém que esteja no Poder. É uma questão cultural como bem colocou você com Augusto Cury. Quem coloca uma placa se dizendo dono da calçada o faz pensando que está certo. Quem coloca seu carro em cima da calçada o faz achando que não está fazendo mal. Só a educação é capaz de mudar isso.
      Um abraço
      Aimberê

  9. 7 de March de 2011

    Professor,PARABÉNS O TEMA É POLÊMICO mas temos que insistir nele em nome da Cidadania.
    Acho que as Leis no nosso país não são respeitadas.Penso que o proprietário de um imóvel só pode edificar ou executar qualquer modificação após 1.50 da face interna do meio fio.A calçada não pode conter desníveis e nem buracos é claro.Existem Leis:Federal,Estaduais e municipais,só não são cumpridas.

    Sou Administrador Distrital do 1º Distrito do Município de Carmo-RJ uma cidade de 18.024 habitantes.

    • 19 de March de 2011

      Maravilhoso entendimento. Assim deveria ser. Parabéns a você como administrador. Gostaria muito de conhece-lo pessoalmente.
      Prof. Aimberê Freitas

      • 20 de March de 2011

        Obrigado pelo post Professor Aimbere Freitas,não será difocil conhecer-me moro em Carmo-RJ é só procurar pelo meu apelido Seu Conscerta.Nessa região sou bem conhecido Além Paraíba,Sapicaia e Carmo.

Comments

Post a comment

You must be logged in to post a comment.