BIG BROTHER BRASIL

(Luiz Fernando Veríssimo)

                Que me perdoem os ávidos telespectadores do Big Brother Brasil (BBB), produzido e organizado pela nossa distinta Rede Globo, mas conseguimos chegar ao fundo do poço…A  décima primeira (está indo longe!) edição do BBB é uma síntese do que há de pior na TV brasileira. Chega a ser difícil,… encontrar as palavras adequadas para qualificar tamanho atentado à nossa modesta inteligência.

                Dizem que em Roma, um dos maiores impérios que o mundo conheceu, teve seu fim marcado pela depravação dos valores morais do seu povo, principalmente pela banalização do sexo. O BBB é a pura e suprema banalização do sexo. Impossível assistir, ver este programa ao lado dos filhos. Gays, lésbicas, heteros… todos, na mesma casa, a casa dos “heróis”, como são chamados por Pedro Bial. Não tenho nada contra gays, acho que cada um faz da vida o que quer, mas sou contra safadeza ao vivo na TV, seja entre homossexuais ou heterosexuais O BBB é a realidade em busca do IBOPE…

                Veja como Pedro Bial tratou os participantes do BBB. Ele prometeu um “zoológico humano divertido” . Não sei se será divertido, mas parece bem variado na sua mistura de clichês e figuras típicas.

                Pergunto-me, por exemplo, como um jornalista, documentarista e escritor como Pedro Bial que, faça-se justiça, cobriu a Queda do Muro de Berlim, se submete a ser apresentador de um programa desse nível. Em um e-mail que  recebi há pouco tempo, Bial escreve maravilhosamente bem sobre a perda do humorista Bussunda referindo-se à pena de se morrer tão cedo.

                Eu gostaria de perguntar, se ele não pensa que esse programa é a morte da cultura, de valores e princípios, da moral, da ética e da dignidade.

                Outro dia, durante o intervalo de uma programação da Globo, um outro repórter acéfalo do BBB disse que, para ganhar o prêmio de um milhão e meio de reais, um Big Brother tem um caminho árduo pela frente, chamando-os de heróis. Caminho árduo? Heróis?

                São esses nossos exemplos de heróis?

                Caminho árduo para mim é aquele percorrido por milhões de brasileiros: profissionais da saúde, professores da rede pública (aliás, todos os professores), carteiros, lixeiros e tantos outros trabalhadores incansáveis que, diariamente, passam horas exercendo suas funções com dedicação, competência e amor, quase sempre mal remunerados..

                Heróis, são milhares de brasileiros que sequer têm um prato de comida por dia e um colchão decente para dormir e conseguem sobreviver a isso, todo santo dia.

                Heróis, são crianças e adultos que lutam contra doenças complicadíssimas porque não tiveram chance de ter uma vida mais saudável e digna.

                Heróis, são aqueles que, apesar de ganharem um salário mínimo, pagam suas contas, restando apenas dezesseis reais para alimentação, como mostrado em outra reportagem apresentada, meses atrás pela própria Rede Globo.

                O Big Brother Brasil não é um programa cultural, nem educativo, não acrescenta informações e conhecimentos intelectuais aos telespectadores, nem aos participantes, e não há qualquer outro estímulo como, por exemplo, o incentivo ao esporte, à música, à criatividade ou ao ensino de conceitos como valor, ética, trabalho e moral.

                E ai vem algum psicólogo de vanguarda e me diz que o BBB ajuda a “entender o comportamento humano”. Ah, tenha dó!!!

                Veja o que está por de tra$$$$$$$$$$$$$$$$ do BBB: José Neumani da Rádio Jovem Pan, fez um cálculo de que se vinte e nove milhões de pessoas ligarem a cada paredão, com o custo da ligação a trinta centavos, a Rede Globo e a Telefônica arrecadam oito milhões e setecentos mil reais. Eu vou repetir: oito milhões e setecentos mil reais a cada paredão.

                Já imaginaram quanto poderia ser feito com essa quantia se fosse dedicada a programas de inclusão social: moradia, alimentação, ensino e saúde de muitos brasileiros?

                (Poderiam ser feitas mais de 520 casas populares; ou comprar mais de 5.000 computadores!)

                Essas palavras não são de revolta ou protesto, mas de vergonha e indignação, por ver tamanha aberração ter milhões de telespectadores.

                Em vez de assistir ao BBB, que tal ler um livro, um poema de Mário Quintana ou de Neruda ou qualquer outra coisa…, ir ao cinema…, estudar… , ouvir boa música…, cuidar das flores e jardins.. , telefonar para um amigo… , visitar os avós.. , pescar…, brincar com as crianças… , namorar… ou simplesmente dormir.

  1. 29 de January de 2011
    Afonso Ventura

    Simplesmente fantástico e é assim q penso, por isso me recuso assitir tamanha indecência. Aonde ficam os valores morais e éticos? Devia-se chamar de BBP (Big Brother Putaria)

  2. 29 de January de 2011
    SILVIA ANGÉLICA RAMOS

    AMIGO, NÃO SEI TE DIZER NADA SOBRE ESTE ASUNTO, PORQUE NÃO ASSISTO BBB!

  3. 29 de January de 2011

    Verifique a verdadeira autoria deste texto.

  4. 29 de January de 2011

    EXcelente!

  5. 30 de January de 2011

    Permita-me assinar em baixo.
    Faço apenas um breve adendo:
    BBB= BesteraisBundas&Bacanais

  6. 30 de January de 2011

    Olha, sou do tempo em que criança não assistia TV depois das nove, e olha que não passava nada demais na tv. Não tenho nada contra o bom e velho sexo, seja lá qual for, mas o maior problema do BBB é que ele emburrece. É danoso para os adultos, e estes ainda permitem que crianças assistam. Me dói ver crianças de 8, 9 anos repetindo os bordões doentios do programa. Ou ver uma criança de u anos cochilando no ôniibus porque ficou até tarde vendo tamanho lixo, em vez de descansar pra poder estudar. Chego a sentir falta da censura.

  7. 30 de January de 2011
    Rosa Franco

    Olha faço minhas suas palavras, de cultura BBB não tem nada.Mas infelizmente onde tem baixaria e sexo, está a massa lá aplaudindo.

  8. 30 de January de 2011

    Belíssima colocação professor, sempre me pergunto porque o Bial se sujeita a isso? O brasil ainda insiste em fazer este programa que outros países já deixaram de fazer há muito tempo.(já que copia tudo, copia também o bom senso de finalizar o que já foi) O horário seria ótimo para documentários educativos à população.Ops, mas isso não dá ipope e não é interessante para eles, quanto a nós vamos empobrecendo no conhecimento e fazendo o que eles querem, Fiquem em casa assistindo tv e consumindo. Prefiro não ver, pois fico enjoada.Abraços.

  9. 30 de January de 2011
    Júnior coelho

    Eu assisto…mas confesso q ñ sentiria nem uma falta se o mesmo ñ fosse mais apresentado a nós, sou professor e costumo dizer q devemos tirar proveito d toda e qualquer situação para mostrar o lado bom das coisas, nem q seja p dizer q essa coisa (BBB) ñ contribui em nada, vejo isso como educador q kda dia mais perdemos nossos alunos p esse tipo de programa, então pq ñ usar a própria banalização contra ela mesma…

  10. 30 de January de 2011

    Olá Amigo
    Estou aqui novamente, nossa essa sua opinião, enfim tudo o que escreveu é espetacular!
    Um dia desses minha irmã veio aqui em casa e assistimos juntas, pois ela gosta muito, ficamos decepcionadas com a falta de princípios, sou de acordo de que não devemos ter preconceitos, porque que seria ter respeito pela vida privada e escolhas de uma pessoa, mais daí a expor tais situações os pessoas nesse ponto, a tantas baixarias e cenas “eróticas”.
    A idéia de se colocar pessoas em uma casa para poder ser assistida em tv aberta é Boa, sendo elas “necessitadas”, ou com uma vida de grandes conquistas e lutas, seria algo admirável podermos assistir costumes e personalidades de forma leve para toda a família se divertir, ex/sotaques, costumes, humor.
    Eu tive uma criação muito doutrinada, mais hoje possuo, um Excelente esposo sei que ele cuidará de mim sempre, eu sou dele e ele de mim e isso é a verdadeira felicidade é algo pra vida toda, ter alguém que te ama que sempre cuida de ti, nesse mundo tão Louco é essencial, muitas amigas me falam como eu tenho uma vida de princesa por ser bem amada e bem cuidada, mais tudo foi pelos princípios que temos que respeitamos, meus filhos também são muito carinhosos, as pessoas ficam bobas por serem crianças que não falam palavrão que são muito carinhosas, mais é algo de se exercer todos os dias, sei que hoje não é muito fácil ensinar coisas boas aos nossos filhos, mais não devemos “impor” e sim expor o que acarreta tais atitudes, porque tudo que plantamos colhemos, em tudo há conseqüências.
    Hoje eu falei eim, UFA!!!
    Beijos
    Com Carinho
    C@Ká

  11. 30 de January de 2011

    Só que o Veríssimo já desmentiu que tenha feito essa crônica.

    • 3 de February de 2011
      Paulo Fiuza

      Meu Caro Marcus não importa se foi o Verissimo que escreveu,o que importa é o espírito da mensagem que aplaudo de pé e com veemência.
      Abraços.

  12. 31 de January de 2011
    Marlei Brito

    Não sei se foi o Verissimo quem escreveu esse texto, mas independentemente de quem o escreveu, tiro o chapéu!!!!

  13. 3 de February de 2011
    Paulo Fiuza

    Meu Caro Veríssimo. Obrigado pela defesa aos Professores!
    Na realidade, o BBB além de ser um termômetro da falta de
    investimento na educação neste país, é um atentado a “autenticidade
    moral” das nossas casas de tolerância que vivem uma realidade social
    sem opções para a sobrevivência das suas “cortesãs”. O BBB é um
    investimento sofisticado que rende “méritos vultosos” à prostituição
    e promiscuidade num sistema moderno com utilização de alta
    tecnologia nas suas artimanhas de propaganda. Digamos que o BBB é uma
    miniatura de sabor insípido e sofisticado de uma Sodoma e Gomorra.
    Um grande abraço do Fiuza.

  14. 9 de February de 2011

    A mensagem é, sim, importante e de bastante relevânmcia. Entretanto, a questão da autoria de um texto é algo muito sério. Esse texto não é um texto do renomado cronista Luís Fernando Veríssimo e uma falsa assinatura em seu nome pode trazer graves complicações para a sua pessoa. Assinar erroneamente é falta tão grave quanto plagiar um texto, ou seja, assinar o seu nome em um texto cuja autoria cabe a outro escritor. Falo isso com alguma experiência própria, sou escritor e, também, curso a Faculdade de Letras da UFMG.
    Quem escreveu esse texto deve tomar a autoria para si e não se esconder por trtás de outro nome. Afinal, a mensagem é bastante válida e o ponto de vista, muito interessante.
    Lembrem-se que, para um escritor, um texto é o seu trabalho e, assim como você não gostaria de ter seu nome vinculado ao trabalho que outra pessoa fez – sobretudo um trabalho que pode lhe trazer complicações -, um escritor também zela por esse direito.
    De qualquer forma, a quem realmente escreveu o texto, parabéns. É uma iniciativa interessante.

    • 9 de February de 2011

      Caro André.
      Obrigado pelo comentário. Veja: não me apropriei do texto. Como recebi, coloquei como de autoria de Veríssimo. Se não for dele e quando eu descobrir de quem é, evidentemente que farei a devida correção, mas em nenhum momento eu afirmei que o texto é meu.
      Grato
      Aimberê

  15. 11 de February de 2011

    Adorei! os brasileiros falam tanto em cidadania e em educação, mas acabam sendo contraditórias quando assistem tal programa e contribuindo com tamanha aberração.
    Belo texto………..

  16. 15 de February de 2011
    Biiaa Santana

    Parabéns pela matéria, foi assunto na minha aula de português hoje 15/02/11

  17. 18 de February de 2011

    Magnífico este texto,pois ele trás uma crítica contra mais uma imoralidade infelizmente da televisão brasileira,pois este bb,é uma falta de respeito para os brasileiros pelaforma que éapresentado.

One Trackback

  1. […] atribuído a Luiz Fernando Veríssimo, retirado de Aimberê Freitas (não sei se de fato pertence a ele, mas as ideias são muito […]

Comments

Post a comment

You must be logged in to post a comment.