Um ano após ter sido aposentado compulsoriamente pelo Pleno do Tribunal Regional do Trabalho (TRT/AM, da 11ª Região, o ex-juiz do Trabalho, da comarca de Tefé, Antônio Carlos Branquinho deverá perder o benefício, além de ter sido condenado a 33 anos de prisão, pelo crime de abuso sexual contra crianças e adolescentes pela Justiça Federal do Amazonas. A sentença também determinou a aplicação de uma multa de mais de R$ 600 mil contra ele.

Inicialmente, o tempo de prisão aplicado a Carlos Branquinho foi de 31 anos e oito meses. O MPF/AM entrou com embargos de declaração apontando erro no cálculo para a contagem da pena e obteve decisão favorável na Justiça Federal, que determinou o aumento do tempo de prisão para 33 anos.

A somatória da pena aplicada ao juiz aposentado considerou as condenações por “produzir, reproduzir, dirigir, fotografar, filmar ou registrar, por qualquer meio, cena de sexo explícito ou pornográfica, envolvendo criança ou adolescente”

Promessas
Segundo investigação da Polícia Federal que embasou a denúncia do MPF/AM, o acusado atraía crianças e adolescentes com promessas de pagamento ou se valia do cargo de juiz para intimidar as vítimas e obrigá-las a praticar atos sexuais e libidinosos com ele no município de Tefé, onde Branquinho exerceu o cargo de juiz do Trabalho durante 14 anos. Ele está preso desde o dia 28 de julho de 2010, quando foi expedido mandado de prisão pela Justiça Federal.

acritica.com

Comments

Post a comment

You must be logged in to post a comment.