Eles tinham tecnologias sofisticadas de caça e técnicas de navegação. Tudo isso transformou os antigos índios que habitavam duas ilhas da Califórnia em “gourmets” de frutos do mar.

Comiam não só moluscos e peixes como também aves oceânicas e mamíferos marinhos. E, por viverem ali há 12 mil anos, alimentam a discussão sobre quais foram as rotas utilizadas para colonizar as Américas: a do interior ou outra, seguindo a costa? (a íntegra está disponível para assinantes do jornal e do UOL).

Os 15 membros da equipe de Jon M. Erlandson, da Universidade de Oregon (EUA), descrevem os achados na edição desta sexta-feira da revista “Science”. Os sítios arqueológicos datam de cerca de 12.200 e 11.200 anos atrás e, na época, como o nível do mar estava mais baixo, as duas ilhas eram uma só.

“Todos os sítios estavam ocupados quando as ilhas era conectadas. Não ficavam na costa, e sim mais para o interior”, declarou um dos membros da equipe, Torben C. Rick.

“Eles mostram alguns padrões diferentes. Em San Miguel, tinham ferramentas notáveis, mas o material animal era principalmente de conchas. Em Santa Rosa, o sítio era dominado por restos de aves e alguns mamíferos marinhos”, afirma Rick.

Ou seja, a população local sabia explorar bem a variedade de recursos. Para chegar à antiga ilha, seria preciso enfrentar cerca de dez quilômetros de oceano. “Essas são algumas das evidências mais antigas de viagens e adaptações marítimas nas Américas”, declarou Erlandson.

Os pesquisadores ficaram particularmente impressionados com a elegância e delicadeza das pontas de projéteis, finos e com farpas, bem adaptados para caçar na água. Outros achados tinham a forma de crescentes, que, sugerem os arqueólogos, seriam boas armas para usar contra aves.

RICARDO BONALUME NETO para a Folha DE SÃO PAULO

Comments

Post a comment

You must be logged in to post a comment.