BEM-QUERER, ressuscitada

by

BEM-QUERER, ressuscitada

O noticiário local traz a notícia de que a Construção da Hidrelétrica do Bem-Querer foi incluída no PAC.  “O Governo Federal incluiu no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) a construção da Usina Hidrelétrica Bem-Querer, no rio Branco.”

Ótima notícia. Assim o seu projeto elaborado, discutido e brigado pelo Governador Fernando Ramos Pereira, em 1974/79 volta à tona de onde nunca deveria ter saído.

A idéia de Ramos Pereira avançou o quanto pôde mas, esbarrou na incompreensão do então Ministro de Minas e Energia Cesar Cals. Aquele ministro cearense, veio à Boa Vista para conhecer o projeto de perto e aqui se desentendeu com o Governador que era um homem sério, honesto, intransigente, duro, responsável e acima de tudo brigador. O coronel Cesar Cals se sentiu ameaçado por Ramos Pereira e vetou a idéia. Em 1979, Ramos Pereira deixou o governo. Foi substituído por Ottomar  e as idéias mudaram para outros locais que de longe perdiam para a logística e a competitividade de Bem-Querer. Resultado: nada foi feito. No meio desse pandemônio surdiu a infeliz e enganadora idéia de abastecer Roraima com energia de Gury. A opinião pública ficou a favor de Gury, pois venderam a idéia de uma energia mais barata. O que jamais ocorreu. Pelo contrário estamos sempre nas mãos dos mandatários venezuelanos.

Agora ressurge BEM-QUERER. Com Bem-Querer Roraima estará bem servido até sob o aspecto da segurança da energia, pois as corredeiras ficam praticamente no Centro do Estado a meio caminho de Manaus.

No projeto de Ramos Pereira havia uma eclusa próxima à barragem que permitiria a navegabilidade plena do Rio Branco até Bonfim, por exemplo. Vamos ver se o PAC mantém o projeto e a navegação.

João Correa Filho, pernambucano, já falecido, escreveu um livro denominado “BEM-QUERER – Integração e Desenvolvimento “que guardo com carinho, pois recebi com uma dedicatória especial.

Eis a capa do livro de João Correa.

Parabéns à Senadora Ângela Portela pro ter sensibilizado as autoridades federais e trazido à baila esse projeto 32 anos depois. Mesmo sem procuração, mas em nome do Governo Ramos Pereira, do qual tive a honra de participar como Secretário de Economia, Agricultura e Colonização e Prefeito de Boa Vistam, agradeço se u esforço.

Já no próximo ano Tucuruí chegará a Manaus e Roraima

by

O diretor de engenharia da Eletronorte, Adhemar Pallocci, garantiu, ontem dia 10/02 em Manaus que a obra do Linhão de Tucuruí até Manaus será concluída em 2012 e o problema da falta de energia no Estado estará resolvido. O sistema interligará os Estados do Amazonas, Amapá e Roraima ao sistema elétrico brasileiro, segundo o Jornal A Crítica de Manaus.

Chegou a hora de Cotingo: “Dilma cobra mais energia da Amazônia”

by

Parece que chegou a hora da Hidrelétrica do rio Cotingo em Roraima. Leia essa matéria de Leila Coimbra que trata da determinação da Presidente da República, publicada na Folha de São Paulo

“O novo presidente da Eletrobras, José da Costa Carvalho Neto, irá assumir a estatal com a missão de achar novas fontes renováveis na Amazônia e nos países vizinhos ao Brasil para a geração de energia.

O objetivo é investir R$ 210 bilhões em parceria com o setor privado nos próximos dez anos para garantir o abastecimento da eletricidade de que o país necessitará no futuro próximo, informa reportagem de Leila Coimbra a Folha de São Paulo.

Carvalho Neto recebeu na segunda-feira do ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, documento por escrito com orientações gerais acerca da estatal. Entre elas, a necessidade de buscar novas oportunidades de investimentos em energia renovável, especialmente nos potenciais hidroelétricos, que estão se esgotando.

Também foi colocado como prioridade, segundo Carvalho Neto, o desafio da internacionalização da Eletrobras, que deverá buscar parcerias com países vizinhos para a construção de novas usinas e também linhas de interconexão energética entre os países.”

Erro da ELETROBRÁS

by

Acordo cedo e leio na Folha de Boa Vista o seguinte tópico:

“A troca de favores relacionados ao fornecimento de energia elétrica entre o Brasil e a Venezuela está longe de terminar. Pelo menos é o que reza os planos de internacionalização da Eletrobrás que incluem uma parceria estratégica de troca de energia com o país vizinho. O Brasil planeja importar eletricidade em período de seca no hemisfério Sul quando está úmido no hemisfério Norte e vice-versa.”

Essa troca de favores torna-se inexeqüível. Primeiro porque a energia do Brasil (hemisfério Sul) está muito longe (em TUCURUÏ – Pará). Do Amazonas e de Roraima, nem pensar. Esses estados não tem energia nem para eles. E em segundo lugar, e isso a ELETROBRÁ não entende é que e Venezuela tem um governo instável e incoerente. Sua marca é de não cumprir acordos.

Basta ver que recentemente sofremos com o racionamento de energia importada da Venezuela por conta de uma “seca”. O que não foi verdadeiro. O que faltou e falta na usina de Gury é manutenção das turbinas. Simplesmente o Presidente daquele país diz que odeia americano e por conta disso, como as turbinas precisam receber essa manutenção por técnicos norte-americanos além das peças de reposição que devem vir daquele país. E não se faz nada por questões ideológicas. E quem paga isso é o povo venezuelano e os bobos (como o governo do Brasil) que compram energia elétrica da Venezuela.

Agora vem a ELETROBRÁS e anuncia “planeja importar eletricidade em período de seca no hemisfério Sul quando está úmido no hemisfério Norte e vice-versa.” É por isso que temos que mandar para Brasília um Senador que conheça a realidade regional e possa orientar o Brasil na condução melhor dos nossos destinos.

P.S.: E o que você pensa disso? Será um bom negócio para nós?

Ou será melhor construir a nossa própria Hidrelétrica?

Boa Vista: cidade pisca pisca

by

Ontem foi um dia de vagalume em Boa Vista. Até o twitter sofreu com a falta de energia em muitos bairros. Continuamos na mesma: de dia falta água e de dia e de noite falta luz(energia). Geradores de eletricidade para substituir a energia que o Chaves nos nega, não resolvem. Nesse cáos nós já estivemos anos atrás. A energia de Guri parecia uma beleza, hoje é uma pouca vergonha. Roraima vive de planos mirabolantes com resultados decepcionantes.

Ou Roraima constrói sua usina hidrelétrica ou vamos ficar falando de falta de energia até morrermos todos e deixarmos esses tema para as próximas gerações. Tem vindo aqui uns caras do Governo Federal anunciar maravilhas: “Eletronorte vai resolver o problema da falta de energia” , “virão geradores de outras praças para Boa Vista”, “Boa Vista vai ser interligada a Manaus”. Essa dizem está no PAC 2. Tudo BOBAGEM. Só para nos enganar. Se no Rio e em São Paulo houver um apagão de 5 minutos vira notícia no JN. Aqui, nada.

Roraima tem potencial hidro elétrico nos seus Rios Cotingo, Branco, Mucajaí e outros. Mas a construção de uma usina aqui esbarra sempre na má vontade dos que tem poder para decidir. Alegam: “não é prioritário” E mais ” Tem que fazer antes: Belo Monte, Tucuruí, Cachoeira Porteira, etc e tal”. Tá bom ficamos no rabo da vila. Até quando?

PS. Qual é a saída para esse empasse que você vislumbra? Roraima merece isso? Como resolver esse dilema?

Manifeste-se. Dê sua opinião. Vamos formar uma forca de mãos dadas e com os pés no chão.

Boa Vista: de dia falta água, de noite falta luz

by

Na década de 60 havia uma marchinha carnavalesca popular no Rio de Janeiro cuja parte da letra era: “Rio de Janeiro cidade que nos seduz, de dia falta água, de noite falta luz…

Assim está nossa querida Boa Vista, a bela capital do Estado de Roraima: de dia falta água, de noite(e de dia) falta luz. Eu moro no bairro de São Francisco, na minha casa tenho duas caixas dágua de 1.000 litros cada. E mesmo assim, falta água. Imagine quem, não tem caixa dágua?

As vezes informam: falta água porque falta luz. Vixe Maria!!!!! Então a marchina do Rio de Janeiro se aplica bem aqui em nossa Boa Vista?

Energia elétrica é um insumo insubstituível nas nossas vidas. Precisamos dela de noite?

Claro, de noite precisamos de muitas coisa, além de uma boa companhia. Mas para tudo ficar bom é necessário o ventilador ou o ar condicionado. Sem isso… Mas também precisamos dela de dia: Internet, e-mails, trabalho, geladeira, TV, etc Não vivemos sem isso e outras coisitas más. Verdade?

Depois que o fornecimento da nossa energiapassou para o “companheiro Chaves” Tudo está piorando.

PS.: Na sua casa falta água? E energia, também. Você gosta disso? Faça aqui sua análise.