Cultura, em baixa por aqui

by

O texto é do caro amigo Ronaldo Uchôa, acadêmico de Direito, jovem, culto e inteligente que nos brinda, hoje, com essa inquietante questão da Cultura em Roraima

Primeiramente gostaria de agradecer pelo espaço. E como não posso fazer feio, não aqui. Comecemos pela cultura nesta capital!

A falta de cultura de tantas as formas afeta o crescimento intelectual individual e, porque não dizer, coletivo.

Um ponto que chama atenção está relacionado à música. Sabemos que os estilos musicais que mais agradam os roraimenses (ou aqueles que adotaram esta capital para residir) são o forró e a música sertaneja.  Até o Reggaeton, proveniente do nosso vizinho ao norte é um estilo de música muito ouvido aqui. Quando não são esses, o que “rola” é música norte-americana em boates.

A dúvida é: O que mais? Só existem esses estilos?

Boa Vista é uma capital que abriga, na sua grande maioria, pessoas provenientes de outros estados. Cadê a cultura? Quanto teremos que esperar para que existam obras sociais nesse sentido? O povo não sente falta de visitar um teatro? Um museu? De um show de MPB, ao invés dos inúmeros e repetitivos shows de forró ou sertanejo?

A música brasileira é riquíssima. Na verdade, a música, por si só é um grande instrumento. Li certa vez uma frase muito bonita que dizia: “A música é o remédio da alma triste”. Pura verdade.

Através dela, reconfortamos e revigoramos o espírito. Um instrumento tão poderoso que muitos sequer dão valor. Não importa, no final das contas, o que você gosta de ouvir, contanto que ouça.

Em minha opinião, poderíamos ter muito mais em Boa Vista. E vocês, o que pensam a respeito? O que acham que faz falta em nossa capital?