Reflexão:para os homens, no dia das Mães

by

No dia das Mães, elas pedem socorro. Um estudo sobre a violência doméstica realizado pela Organização Mundial de Saúde aponta que mulheres com maior grau de instrução e renda própria, no caso do Brasil, sofrem menos violência doméstica.

De acordo com a pesquisa, as mulheres que têm até o segundo grau de escolaridade normalmente têm renda própria e isso funciona como um protetor contra a violência física e sexual que pode vir do parceiro.

A questão do número de mulheres que sofrem com a violência doméstica (física e sexual) levando em conta o grau de instrução fica mais nítida quando se divide o Brasil na área rural e urbana.

O estudo da OMS destaca que 37% das mulheres que vivem na Zona Rural sofrem violência física e sexual de seus parceiros, enquanto que na cidade, 29% são vítimas.

Das mulheres que vivem na Zona Rural do País, 5% são agredidas por não cumprirem as tarefas domésticas, 10% por desobedecerem ao marido, 30% por infidelidade e 65% porque seus parceiros são agressivos e controladores.

Já nas cidades brasileiras, 80% das mulheres apanham ou são violentadas porque os maridos têm comportamento violento, 10% por infidelidade e cerca de 1% por desobediência ou por não fazerem os trabalhos domésticos.

Outra parte dessa pesquisa mostra que, das mulheres que sofrem agressões físicas, 61% moram em cidades e 65% na Zona Rural. 16% sofrem agressões físicas graves e 12% agressões leves.

No entanto, 31% das mulheres do Brasil rural e 29% que vivem em cidades sofrem tanto a violência física quanto a sexual. E Roraima, como está, se aqui fosse feita pesquisa semelhante?

PS.: Se é assim, como está o índice de violência contra as mulheres em Roraima? O que a sociedade tem feito, tem ajudado a diminuir as agressões? Conhece algum caso de agressão, que resultou em punição para o agressor?