Para onde caminham os Universtários de RR?

by

Roraima, com uma população em torno de 400 mil habitantes, tem um altíssimo índice de estudantes universitários. UFRR, UERR, ATUAL, CATEDRAL, FARES e etc fazem parte do grande universo de entidades de ensino superior. Muitos falam em até 20.000 estudantes de nível superior em RR. Não sei se tanto, mas é um bom contigente. Todos os anos são centenas e centenas de jovens que se graduam nos vários ramos do conhecimento. Muito bom para todos.

Mas a pergunta é: Para onde caminham esses graduados de Roraima? O maior empregador é o Estado. E este, segundo fontes oficiais, está lotado. Não comporta mais ninguém. Os órgãos federais, estaduais e municipais, pressionados pela Lei, aqui e acolá, realizam um concurso público. Mas as vagas oferecidas são muito poucas.

A iniciativa privada está amarrada. Amarrada nas questões de infra estrutura, de mercado, de legislação e a sempre alegada falta de mão-de-obra especializada. Isso significa dizer que a iniciativa privada não tem oferecido os empregos que os 20.000 estudantes necessitam.

As organizações academicas, por outro lado, e o MEC também, não fazem um estudo de mercado de trabalho local antes de autorizar um curso. Autoriza no escuro. Então surgem as disparidades: milhares de estudantes de direito, de enfermagem, de administração, etc sem que tenham eles a certeza de acolhimento no mercado de trabalho.

PS.: Isso está certo ou errado? O que fazer para encontrar o ponto de equilíbrio? Você que já está graduado está empregado na sua profissão? Valeu a pena estudar tanto?