Aviação comercial do Brasil e a burrice

by

Manaus é uma cidade de quase 2 milhoes de habitantes. Está a 3 horas e meia de São Paulo e 6 de Miami. No meio do caminho entre o Brasil e os USA. Está proxima de Caracas, de Bogotá, do Caribe, etc e tal. Mas a burrice nacional não consegue ver e aceitar fazer de Manaus um HUB Internacional. O que custa um avião que saia de São Paulo ou do Rio ou de qualquer outra grande capital brasileira fazer uma parada em Manaus, receber os passageiros regionais e leva-los para os USA, Caracas, Bogotá, etc e receber esses mesmos vôos em Manaus e levar os passageiros para as grandes capitais do Brasil?

Tudo se justifica pelo raio do mercado, mas os caras não conseguem explicar por que os passageiros do Norte: Acre, Rondonia, Roraima, Amazonas, Amapá e Pará são TODOS sacrificados pelo preço astronômico cobrado pelas passagens aéreas e em especial quando vão ao exterior. Digam-me: Tem sentido um passageiro que quer ir a Caracas de avião se deslocar até São Paulo e depois voltar???? Mas é que São Paulo é HUB, Manaus, não.

A razão e a explicação não é o mercado alegado. A razão mesmo é que não gostam de Manaus, de Boa Vista e das demais capitais do Norte. Dizem: “ah lá é muito quente”, “não tem conforto” e por aí vai.

E nós os pobres coitados do Norte e da Amazonia, bancamos o Brasil desde a época da borracha e pagamos(de RR) hoje a passagem mais cara do mundo. Uma SAO/MAO custa 179 reais com 3,5 horas de viagem e uma BVB/MAO com 1 hora de viagem custam, no barato 379 reais. Revolto-me com isso.  E você?

Avícola Monte Cristo, um exemplo

by

Hoje pela manhã visitei, com meus alunos de Agronomia da FARES, a Avícola Monte Cristo. Naquele lugar funcionou o antigo incubatório da Codesaima. Esta, por má administração, abandonou o empreendimento e um empresário roraimense (grupo Abade) reativou-o e está dando exemplo de trabalho e produção local de pintos de um dia.

O trabalho, especialmente no que se refere à logística, é muito complicado e caro. Os ovos vem, por via aérea, de São Paulo. Aqui são incubados e vendidos aos produtores de frango. Mas como no Estado, não há um abatedouro de aves preparado, as aves adultas só podem ser vendidas em pé. Isso resulta em baixo lucro para os vendedores e impede TOTALMENTE a possibilidade de exportação. A Venezuela quer comprar, mas Roraima não pode vender. E aí fica tudo bem mais difícil.

Enquanto isso vamos gastando nosso dinheiro nos Supermerdos de Boa Vista com frango vindo de fora. Assim nosso salário passa pouco tempo no nosso bolso e logo é drenado para outro estado da federação. Desenvolvimento Regional, necas!!!!

Esse modelo econômico não nos ajuda e é preciso mudar. MUDAR TUDO!!! O dinheiro tem que ficar aqui. Imaginem, comprar ovo em São Paulo e trazer de avião!!!! Boa Vista tem o frete aéreo mais caro do Brasil e talvez do mundo.

PS.: Uma pergunta: Frango regional, ou galinha caipira é melhor que galeto? Você gosta de carne de frango? Qual sua sugestão para melhorar a logística da produção como do consumo de frango em Roraima?

Palestra Sobre Mercado da Venezuela para Roraima

by

Na manhã  de hoje fiz uma palestra para técnicos ligados ao setor de produção de MPEs do SEBRAE-RR sobre o mercado da Venezuela para produtos de Roraima.

Mostrei por meio de pesquisa que há um bom mercado naquele país para produtos como carne bovina, leite fresco, embutidos, frangos de corte, milho, soja, além de móveis de madeira e portas.

A idéia é, antes de tudo, conhecer o mercado para então fomentar a produção local. Até agora as políticas públicas adotadas em Roraima, no setor da agropecuária, foram no sentido de incentivar a produção. O mercado ficou sempre em segundo plano. Isso não contribuiu tanto na competitividade da empresa roraimense e em especial quando se pensa em mercado exterior.

Vamos aprofundar ainda mais o trabalho que poderá servir de subsídio para outros trabalhos complementares visando a inserção de Roraima no mercado internacional, sempre falado, mas pouco estudado, principalmente quanto à propalada posição geográfica privilegiada.