Juventude: Força, Amor e Ódio

by

Quando nos encontramos com a juventude, sentimos da parte dela,dois sentimentos: um de esperança de uma vida melhor na fase adulta e outro de revolta e de inconformismo.

A esperança é a força do Amor que o jovem carrega no seu pensamento. E a revolta é a força do ódio que se manifesta de várias formas e as vezes pela violência .

É necessário prestar atenção no grau de informação que o jovem dispõe hoje. Ele sabe que o país está crescendo economicamente e que ele sonha em ser um participante desses crescimento. Mas muitas vezes ele se sente impedido pelas barreiras que a execução errada das políticas públicas acarreta.

E quem é o responsável tanto pela elaboração das políticas como pela sua execução: os políticos.

E esses são escolhidos entre os membros de nossa sociedade. E quando alguns desses representantes falham no seu desempenho a frustração da juventude é ainda maior (e revolta também). Nesse caso só existem duas saídas: ou ele (jovem) se candidata ou pocura conhecer melhor a vida do seu possível candidato.

Todos nós somos, no presente, um retrato do que fomos no passado. Então conhecer a honestidade, o caráter, a personalidade e acima de tudo o compromisso consigo mesmo e com os seus semelhantes do candidato, não é difícil. Isso pode ser encontrado, basta pesquisar entre os conhecidos e amigos dele.

Pessoalmente sou um otimista, mas combato ferozmente os que não se coadunam com a juventude. Ela é o país de amanhã (e do hoje também)

P.S: Você que é jovem, não quer entrar para a política? Se não, por que?

E você, que não é tão jovem assim, o que pensa do futuro de nossa juventude? Podemos alimentar esperanças positivas?