Twitter e o parlamento brasileiro

by

Ontem truou pelo twitter a informação de que um deputado federal, twittou parte de uma reunião “secreta”da Câmara dos Deputados e por isso, o Presidente, irritado, repreendeu o Deputado e encerrou abruptamente a tal reunião. O Deputado twitteiro, é um ex-policial e o tema da reunião dizia respeito a PEC 300 que trata do assunto da remuneração dos policiais. Mas isso não importa. Se o assunto era esse ou aquele, penso que na Câmara Federal não há lugar para assunto “secreto”. Lá é lugar de assunto público que visa exclusivamente o interesse público. Ou não?

O twitter é uma ferramenta nova nos costumes nacionais e mundiais. É instantâneo no transmitir mensagens. É revolucionário, portanto.

Tenho por Michel Temer, o Presidente daquela casa, respeito e consideração. Ele foi um dos professores da PUC de São Paulo que fez parte de minha banca examinadora do mestrado na FGV de São Paulo, como Doutor em Direito Constitucional e, depois, prefaciou um dos meus livros. Considero-o um democrata. Mas o fato é que ele, por certo, conhece o twitter apenas superficialmente e se surpeendeu diante dessa novidade mundial e brasileira. O que é novo espanta.

A questão é saber como a sociedade brasileira e a de Roraima em particular, viu a atitude dos dois deputados: o que twittou e o que proibiu e repreendeu o que twittou.

E mais que isso: na Camara dos Deputados tem lugar para reuniões “secretas”? “Secreta” pq?. Tem alguma coisa a ser escondida?