Rochas ornamentais de Roraima e Rondônia: falta capital e infra estrutura para exploração.

by

Parte da matéria do Jornal A Crítica de Manaus http://acritica.uol.com.br

“Estudo da CPRM identifica potencial de rochas ornamentais da Amazônia

Embora possua uma rica fonte de materiais rochosos, a Amazônia não tem produção significativa de rocha ornamental.

Segundo dados do Serviço Geológico Brasileiro (CPRM), a produção na região não atinge mais de 1% da produção brasileira.

Quem importa materiais para revestimento estético chega a pagar cinco vezes o valor original ao importar de outras regiões brasileiras.

Rochas ornamentais são, em geral, utilizadas para fins estéticos em piso, fachadas e decoração de ambiente e arquitetura. No mercado, ganham nomes variados, como granizo e mármore.

Para potencializar a produção deste material, a CPRM elaborou o
primeiro Atlas de Rochas Ornamentais da Amazônia, que será lançado em evento que acontece a partir desta terça-feira (15), em Vitória (ES).

O gerente de geologia e recursos minerais da superintendência regional da CPRM, em Manaus, Marcelo Esteves Almeida, que participou dos estudos (realizados em 2009 e 2010) reunidos no atlas, conta que foram pesquisadas 80 amostras dos Estados do Amazonas, Amapá, Pará, Mato Grosso, Roraima, Rondônia e Tocantins.

Destes, somente os Estados de Rondônia e Roraima possuem uma produção, embora incipiente, de rochas ornamentais.

Conforme o geológico, também foram realizados ensaios tecnológicos para identificar a estética da rocha e a viabilidade do uso.

Almeida destaca que as rochas amazônicas têm um potencial específico porque também possuem qualidades valorizadas pelo mercado: tipos exóticos e cores variadas.

Estas características, ao serem cortadas para polimento, ganham
aspectos variados, que são realçados no processo de produção.

Segundo o geólogo, a idade das rochas encontradas na Amazônia tem, em média, 1 bilhão de anos.

Empreendimento

O superintendente da CPRM, Marco Antônio Oliveira, conta que o objetivo do atlas é incentivar o empreendedor a implantar a produção de mina e serrarias de rochas na Amazônia.

Mas, para viabilizar o empreendimento, é preciso apresentar proposta de pesquisa no Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPN).

Oliveira esclareceu que o lançamento do estudo ocorre em Vitória (ES), porque este é o Estado que concentra a maior produção de rochas ornamentais do país, junto com Bahia e Minas Gerais.

“A região tem uma geodiversidade grande. As dificuldades são de infra-estrutura”, observou.”

Elaíze Farias para jornal A Crítica de Manaus

História de Boa Vista e de Roraima, em video

by

Um video está no Youtube e conta uma parte da ocupação humana de Roraima, especialmente de Boa Vista.

Vale a pena ver:

Chegou a hora de Cotingo: “Dilma cobra mais energia da Amazônia”

by

Parece que chegou a hora da Hidrelétrica do rio Cotingo em Roraima. Leia essa matéria de Leila Coimbra que trata da determinação da Presidente da República, publicada na Folha de São Paulo

“O novo presidente da Eletrobras, José da Costa Carvalho Neto, irá assumir a estatal com a missão de achar novas fontes renováveis na Amazônia e nos países vizinhos ao Brasil para a geração de energia.

O objetivo é investir R$ 210 bilhões em parceria com o setor privado nos próximos dez anos para garantir o abastecimento da eletricidade de que o país necessitará no futuro próximo, informa reportagem de Leila Coimbra a Folha de São Paulo.

Carvalho Neto recebeu na segunda-feira do ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, documento por escrito com orientações gerais acerca da estatal. Entre elas, a necessidade de buscar novas oportunidades de investimentos em energia renovável, especialmente nos potenciais hidroelétricos, que estão se esgotando.

Também foi colocado como prioridade, segundo Carvalho Neto, o desafio da internacionalização da Eletrobras, que deverá buscar parcerias com países vizinhos para a construção de novas usinas e também linhas de interconexão energética entre os países.”

Roraima na bandeira nacional. Qual é sua estrela?

by

Poucos se dão conta que a Bandeira do Brasil, cuja data foi comemorada recentemente tem 27 estrelas. Uma para cada estado e DF. Qual é a estrela que representa seu estado. Você sabe? Então se não sabe veja essa explicação:

Estados Significado
ACRE Gama da Hidra Fêmea
AMAPÁ Beta do Cão Maior
AMAZONAS Procyon (Alfa do Cão Menor)
PARÁ Spica (Alfa de Virgem)
MARANHÃO Beta do Escorpião
PIAUÍ Antares (Alfa do Escorpião)
CEARÁ Epsilon do Escorpião
RIO GRANDE DO NORTE Lambda do Escorpião
PARAÍBA Capa do Escorpião
PERNAMBUCO Mu do Escorpião
ALAGOAS Teta do Escorpião
SERGIPE Iota do Escorpião
BAHIA Gama do Cruzeiro do Sul
ESPÍRITO SANTO Epsilon do Cruzeiro do Sul
RIO DE JANEIRO Beta do Cruzeiro do Sul
SÃO PAULO Alfa do Cruzeiro do Sul
PARANÁ Gama do Triângulo Austral
SANTA CATARINA Beta do Triângulo Austral
RIO GRANDE DO SUL Alfa do Triângulo Austral
MINAS GERAIS Delta do Cruzeiro do Sul
GOIÁS Canopus (Alfa de Argus)
MATO GROSSO Sirius (Alfa do Cão Maior)
MATO GROSSO DO SUL Alphard (Alfa da Hidra Fêmea)
RONDÔNIA Gama do Cão Maior
RORAIMA Delta do Cão Maior
TOCANTINS Epsilon do Cão Maior
BRASILIA (DF) Sigma do Oitante

Quem é Aimberê Freitas

by

Sou roraimense de Boa Vista, professor universitário,  Doutor em Engenharia de Transportes pela UFRJ e Mestre em Administração Pública pela Escola de Administração de Empresas da FGV de São Paulo. Também sou escritor, pesquisador sobre a Amazônia e autor de 15 livros sobre a região e sobre Roraima e sua gente.

Nasci em 1946 a beira do Iguarapé do Caxangá, filho de pais paraibanos que chegaram a Roraima em 1945. Estudei as primeiras letras na Escola Professor Diomedes e no Ginásio Euclides da Cunha (GEC) em Boa Vista. Após graduação do ensino fundamental e com muito sacrificio pessoal e de minha família, mudei-me para o Rio de Janeiro para cursar o ensino fundamental, já que este era inexistente em Boa Vista na época.

Fiz o curso do ensino médio na Associação Cristã de Moços (ACM) do Rio de Janeiro. No mesmo ano de minha graduação do ensino médio, ingressei e, anos depois, graduei-me em Medicina Veterinária pela Universidade Federal Fluminense, em Niterói, Rio de Janeiro.  Também tenho Mestrado em Administração Pública e Planejamento Urbano concluído na Fundação Getúlio Vargas de São Paulo; sou Especialista em Saúde Pública pela Universidade de Ribeirão Preto, São Paulo; e sou Doutor em Engenharia de Transportes e Logística pela COPPE – Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Minha vida pública inclui experiências em cargos executivos e legislátivo:

  • Fui prefeito de Boa Vista.
  • Vereador por Boa Vista.
  • Secretário de Estado da Economia, Agricultura e Colonização.
  • Secretário de Estado da Agricultura.
  • Secretário de Estado da Promoção Social.
  • Secretário de Estado – Chefe da Casa Civil.
  • Diretor da Companhia Energética de Roraima.
  • Diretor da Codesaima.
  • Coordenador de Pesca na Amazônia Ocidental.
  • Membro do Conselho de Desenvolimento Econômico e Social da Presidência da República.
  • Presidente da Agência de Fomento do Estado de Roraima.
  • Superintendente da Federação das Indústrias de Roraima – FIER.
  • Professor de Administração, Economia e Agronomia da FARES de Boa Vista.
  • Consultor de Comércio Exterior do SEBRAE-RR.

Por Amor a Roraima – Vote Aimberê 433

Expansão do Pólo Industrial de Manaus para Roraima

by

O Pólo Industrial de Manaus – PIM, antiga Zona Franca de Manaus, é certamente um modelo de desenvolvimento bem sucedido. Precisamos expandi-lo para Roraima.

Criado em 1967, o PIM trouxe um pouco mais de dignidade para o esquecido norte do país, além de proteção para nossas fronteiras. Mas vejam que a cidade escolhida, Manaus, já está num estágio de evolução bastante avançado. Só o PIM gera 100 mil empregos diretos e outros 400 mil indiretos. E o faturamento em 2009 foi de aproximadamente 30 bilhões de dólares. Ou seja, no Amazonas, em Manaus, a dependência do governo (economia do contracheque) é bastante reduzida. Manaus é hoje o centro econômico do norte do país.

Em contrapartida, na periferia do norte, mais especificamente no extremo norte do Brasil, estamos nós aqui em Roraima afundados na “economia do contracheque”, na total dependência dos governantes que elegemos. Isso faz mal para Roraima. Os representantes do povo e do Estado de Roraima, respectivamente deputados federais e senadores, têm o dever de lutar por uma mudança dessa realidade. Reflitam comigo: Por que até hoje Roraima continua na mesma?

Sempre que grandes projetos tentaram chegar a Roraima, forças ocultas os impediram. A iniciativa privada já fez várias tentativas, que acabaram frustradas. É uma pena, pois hoje poderíamos estar num estágio bem mais avançado de desenvolvimento.

Defendo a expansão do Pólo Industrial de Manaus para Roraima. Pacote completo com todos os incentivos. A ideia é que seja nos mesmos moldes do PIM. Garanto que várias grandes empresas vão querer vir para Roraima. Mais empregos serão gerados, Roraima vai surgir para o Brasil, nosso povo terá mais dignidade.

Aliado a essa grande proposta do Pólo Industrial de Roraima, nos moldes do Pólo Industrial de Manaus, defendo também a construção de uma estrada de ferro Manaus – Boa Vista – Georgetown para escoamento da produção dos dois pólos. Vejam que projetos para Roraima crescer e se desenvolver existem. Só falta um pouco de vontade para fazer as coisas acontecerem. E essa vontade só existe em quem quer o melhor para Roraima. Sabemos que todas essas realizações seriam uma proeza para Roraima, pois teríamos que “mover montanhas” para realizar tudo isso. De toda forma, se não tivermos pessoas (senadores e deputados) atuando lá em Brasília, no Congresso Nacional, articulando para que esses projetos aconteçam em Roraima, de fato nada vai acontecer. Reflitam: Tais projetos não poderiam estar no PAC – Programa de Aceleração do Crescimento, por exemplo? Por que não estão? Tem algum outro grande programa de desenvolvimento nacional no qual Roraima esteja inserido?

É preciso que senadores roraimenses defendam/pensem Roraima no Congresso Nacional (parece redundante, mas não é). Não queremos representantes de Roraima no Congresso Nacional que fiquem calados, que não tenham idéias, projetos, vontade e força para defender nosso Estado.

Por Amor a Roraima – Vote Aimberê 433

Porque Voto e Conclamo a Todos a Votar no Aimberê

by

De: José Henrique Ferreira Leite

Para: Povo de Roraima

01.     Conheço o AIMBERÊ desde 1977. Ele, como Secretário de Agricultura e eu como Coordenador de Colonização, uma das coordenadorias daquela Secretaria. Nos tempos em que Aimberê foi Secretário de Agricultura não conheci outro em Roraima que tenha trabalhado tanto! Foi um tempo em que as coisas do campo eram levadas a sério. Tempo de grandes realizações. Tempo em que as Secretarias de Governo ainda não eram loteadas entre políticos eleitos e candidatos, com o fim de só beneficiá-los. Nos tempos de Aimberê como gestor público, trabalho significava trabalho. E como se trabalhava por aqueles tempos! Não havia essa de festança e gastança para iludir os homens do campo, não. Só para citar algumas das realizações de Aimberê à frente da Secretaria de agricultura: a) Campanha eficaz de erradicação da febre aftosa do rebanho roraimense; b) Aquisição de matrizes e touros PO (puro de Origem) para melhoria do plantel do gado roraimense; c) Projetos e apoio efetivo à produção de grãos e hortifrutigranjeiros; d) Trabalho integrado com a extinta ASTER/RR, no melhor e mais sério serviço de apoio e extensão rural que já se viu em Roraima; e) O mais extenso e efetivo projeto de colonização de todos os tempos em terras de Roraima. Projetos que culminaram com a criação de todos os municípios do sul do Estado e, ainda, Cantá, Alto Alegre e Iracema. Tudo isso, realizações em menos de dez anos, coisa que não se vê nesses últimos vinte e cinco anos.

02.     Além da extensa folha de serviço prestada ao Estado pelo menino que nasceu na beira do igarapé do Caxangá, não devemos esquecer que, para isso, ele comeu o pão que o diabo amassou. Nem por isso, depois que deu a volta por cima, deixou-se entregar a uma vida egoísta e de rotina vulgar. Sua vida foi sempre discreta, digna e honrada. Sua vida pública e privada nunca foi alvo de censura. Com sua mulher Darci, criou os filhos em ambiente de incentivo e respeito aos estudos e ao trabalho.

03.     Tem mais. Na área cultural, estudioso e pesquisador que é, é de longe o escritor roraimense que mais tem obras publicadas. É um profundo conhecedor do Estado. Seus livros versam sobre história, geografia, administração e geopolítica de Roraima. Além disso, já publicou pra mais de uma vintena de biografias dos mais simples aos mais ilustrados roraimenses e personagens outros que chegaram a esta terra e que de alguma forma ou outra contribuíram para o desenvolvimento do Estado.

04.     O senhor Aimberê, que além de prolífico escritor é médico veterinário, com mestrado em Administração Pública, especialista em problemas de tráfego e professor universitário, tem tudo para ser um excelente senador. O que não lhe falta é preparo, legitimidade, dignidade e vontade para nos representar.

05.     Aimberê, além do mais, é FICHA LIMPA. Não é isso o que queremos?

José Henrique Ferreira Leite,  professor e advogado.

Por Amor a Roraima – Vote Aimberê 433

Voto Consciente, Voto Aimberê 433

by

Votar representa o ato mais importante dos cidadãos num Estado Democrático de Direito. É o início de tudo. É a partir do voto que elegemos nossos REPRESENTANTES na gestão da res pública, ou seja, da coisa pública.

 Nossa Constituição Federal de 1988, que é a Lei Suprema e Fundamental do nosso Estado, foi formatada e escrita por pessoas, digo representantes, que elegemos para tal feitura. Agora que temos as diretrizes definidas na Constituição que nós escrevemos, mesmo que de forma indireta com nossos representantes, temos que segui-la. No artigo 14 da Carta Maior está escrito que a soberania popular será exercida pelo sufrágio universal e pelo voto direto e secreto, com igual valor para todos e, nos termos da lei, mediante plebiscito, referendo e iniciativa popular.

 Nossos representantes (imaginem, para facilitar, que passamos uma procuração para eles) têm o poder/dever de agir, de dar ideias, de nos substituir na administração do nosso Estado… Imaginem que liberamos até nosso “cartão de crédito” para gastarem em nosso benefício, comprando bens e serviços para melhorar nossas vidas (é óbvio que exigimos prestação de contas). O fato de passarmos para poucos representantes tamanha responsabilidade faz-se necessário para que haja um mínimo de organização de nossa sociedade. Imaginem se não existisse essa figura dos representantes do povo (senadores, deputados, governadores, vereadores, presidente). Certamente seria uma bagunça, seria ineficaz, ineficiente e, pior ainda, sem efetividade. No nosso Estado de Roraima é a mesma coisa. Temos diversas pessoas (candidatos) que pleiteiam representar cada um de nós na administração do nosso Estado, das nossas cidades, das nossas ruas, do nosso “cartão de crédito”, etc. Eles querem atuar em nosso nome, “fazer as coisas por nós”.

 Devemos eleger pessoas sérias, comprometidas, que tenham coragem de fazer acontecer. Que façam nosso Estado de Roraima existir para o Brasil, pois também queremos participar da vida ativa do nosso país. Queremos pessoas que tragam projetos de desenvolvimento para o nosso Estado. Vejam, se formos ver o que temos atualmente de projetos para o desenvolvimento do Brasil, percebam que estamos fora de todos eles. Não há projetos para Roraima. Ou seja, é o mesmo que se não existíssemos. Precisamos de representantes mais fortes, que tenham garra, que tenham amor a Roraima, que queiram fazer Roraima surgir no mapa, que falem a favor de Roraima, mas que falem firme, forte, com a voz grossa a fim de que todos nos ouçam…se for necessário “que puxem a peixeira” em pleno discurso numa sessão lotada do Congresso Nacional. Mas para isso é preciso ter coragem, conhecimento, experiência, ser roraimense de coração. Precisamos de representantes que chamem a atenção para Roraima de forma positiva, que tragam benefícios para Roraima.

 Portanto, VOTAR CONSCIENTE é o primeiro passo para mudarmos Roraima.

 Peço a todos que queiram ver Roraima mudar, que votem CONSCIENTE, que votem AIMBERÊ para o senado, que votem 433.

 Por amor a Roraima – Vote Aimberê 433

Quem é o Aimberê? – Parte 2: A Enciclopédia

by

Ruas de Boa Vista Antiga.

Minha mãe matriculou-me na 1ª série da Escolas Reunidas Professor Diomedes Souto Maior, hoje Escola de 1º Grau Profº Diomedes Souto Maior. Não passei pelo PRE, como se chamava o Pré-Primário, hoje denominado de Pré-Escolar, maternal, Jardim da Infância ou Educação Infantil. Fui direto à 1ª série tendo como Diretora a Professora Conceição da Costa e Silva que morava na própria escola, casada como Sr. Raimundo Ferreira da Silva, pais de tantos roraimenses ilustres, meus contemporâneos, mas especialmente de Walter Jonas Ferreira da Silva, com quem briguei muitas vezes, nesta época, para ser o primeiro nome da pagela (não se usava a ordem alfabética). Era ordem de matrícula. Quem chegava primeiro ficava em primeiro na lista de chamada. E ele sempre ganhava porque era o filho da Diretora, morava na Escola e eu nunca podia chegar antes dele. Era impossível. Isso me frustrava. Mas eu descontava na hora de estudar. Aprendemos juntos a ler e escrever as primeiras letras. Assim fomos durante o primário. Desta época ficou na minha lembrança os nomes das Professoras Raimundinha Freitas, Waldemarina Gomes e Nazaré, a Nazarezinha devido ao seu tamanho. Foram anos de estudos aplicados. Não ia para o recreio quem não tivesse feito os trabalhos. Na hora da Matemática, a tabuada era tomada com a palmatória em cima da mesa. Cada erro correspondia a um bolo da professora ou do colega que sabia mais. Certa vez a Professora Raimundinha mandou copiar 100 vezes a palavra governo pois eu tinha escrito sem o assento circunflexo. Escrevi e gravei como se escreve governo. Só que a nova ortografia tirou o circunflexo do governo e, até hoje, ficou o que aprendi: tenho dificuldades em escrever governo sem o acento circunflexo.

Nas Escolas Reunidas Professor Diomesdes Souto Maior, estudei até a 4ª série.

Não tinha 5ª série. Fui estudar a 5ª série no Grupo Escolar Murilo Braga, com a Professora Maria das Neves Resende. O Murilo Braga não estava terminado e, durante alguns meses, e com a mesma professora, estudamos no Grupo Escolar Lobo D’Almada no Centro da cidade. Era o ano de 1958. Ano da Coligação, o maior movimento político partidário que já aconteceu em Roraima. Maria das Neves era contra o governo e do lado da Coligação. Por bondade. Ela, carinhosamente, chamava-me de Enciclopédia.

Este menino parece uma Enciclopédia. Ele sabe tudo. Foi o maior elogio que já recebi de uma pessoa. Mas para provar que não sabia tudo, em 1959, prestei Exame de Admissão para o Ginásio Euclides da Cunha e tirei a nota mínima 5, exatamente com o Professor Júlio Martins, recém chegado de Manaus, com fama de intelectual, como realmente o é, e profundo conhecedor do nosso vernáculo e até de latim. Entrei para o Ginásio em 1959.

Para concluir o curso primário, tal a sua importância na época, houve festa e a formatura, em traje de gala, foi no Teatro Carlos Gomes. Como orador da turma, preparei o meu discurso como apoio do Promotor Público do Território, Dr. Jersey de Brito Nunes.

Por Amor a Roraima – Vote Aimberê Senador 433

Minhas Propostas Como Senador

by

– Transparência com o dinheiro Público Combate sem trégua à qualquer tipo de Corrupção.

– Construção da Ferrovia MANAUS-BOA VISTA-GEORGETOWN.  São 1308 km de trilhos que irão melhorar a economia do Distrito Industrial de Manaus e do Pólo Agroindustrial de Roraima. As mercadorias do AM e de RR escoarão pelo Porto de Águas Profundas da Guiana.

– Incentivo ao Turismo em Roraima com a Construção de um teleférico de 800m de altura na parte brasileira do Monte Roraima, agregado a uma infra-estrutura Turística para possibilitar o turismo nacional a aquele sítio, um dos mais procurados no mundo e que só é possível  visitá-lo, hoje, pela Venezuela.

– Apoio ao Aproveitamento do potencial agroindustrial do Lavrado de Roraima, voltado para a Produção Agrícola sem Desmatamento.
 
– Conectar por ferrovia o sul de Roraima com o Estado do Pará, até Cachoeira Porteira, no Rio Trombetas onde incentivaremos s construção de uma usina Hidroelétrica  para abastecer de energia elétrica o sul de Roraima e o Amazonas.

– Incentivo para a construção em Boa Vista do MEMORIAL DO LAVRADO. Esse projeto visa dar ao turista uma visão impactante da realidade do Lavrado de Roraima com sua fauna, flora e luminosidade em todas as horas do dia.

– Apoio a transformação do Aeroporto de Manaus em HUB Internacional de Aviação para favorecer o turismo receptivo para a Amazonia.

– Montagem de um Centro de Tecnologia do Pescado em Boa Vista para possibilitar conhecimento aos jovens no que se refere ao tema, incentivar a criação de peixes e transformar Roraima num Centro Produtor de Referencia Internacional Regional na produção, tratamento tecnológico do Pescado visando sua exportação.

– Incentivo aos indígenas de Roraima para que cursem a Universidade em todas as áreas do conhecimento e até com um Campus Universitário na Área Indígena Raposa/Serra do Sol.

– Aproveitar a infra-estrutura Universitária já existente em Roraima para tornar o Estado um Centro Nacional de Tecnologia Amazonica.
 
– Dotar a Universidade Estadual de um Centro de Estudos da Geografia e da História de Roraima.

– Incentivar o intercâmbio do estudo da língua Inglesa e portuguesa entre Roraima e a Guiana.
 
– Ação junto à cidade de Boa Vista para trabalho técnico de Geo referenciamento dos Acidentes de Transito, visando diminuí-los.

– Ação junto às cidades do Estado para adoção obrigatória de Planejamento Urbano na construção de novos bairros e o respeito às calçadas como apoio aos cadeirantes que disputam espaço com os veículos.

– Apoio a reciclagem do lixo, com a Construção em Boa Vista de uma usina de tratamento e reciclagem do lixo, assim como apoio aos catadores de latas de alumínio e de plástico.

Gestão de Recursos Públicos
  • Transparência com o dinheiro público.
  • Combate sem trégua à qualquer tipo de corrupção.
Economia de Roraima
  • Construção da Ferrovia Manaus-Boa Vista-Georgetown. São 1,308 km de trilhos que irão melhorar a economia do Distrito Industrial de Manaus e do Pólo Agroindustrial de Roraima. As mercadorias do Amazonas e de Roraima escoarão pelo Porto de Águas Profundas da Guiana.
  • Apoio ao aproveitamento do potencial agroindustrial do Lavrado de Roraima, voltado para a produção agrícola sem desmatamento.
  • Conectar por ferrovia o sul de Roraima com o estado do Pará, até Cachoeira Porteira, no Rio Trombetas, onde incentivaremos a construção de uma usina hidroelétrica para abastecer de energia elétrica o sul de Roraima e o Amazonas.
Cultura
  • Incentivo para a construção em Boa Vista do Memorial do Lavrado. Esse projeto visa dar aos cidadãos e turistas uma visão impactante da realidade do Lavrado de Roraima com sua fauna, flora e luminosidade em todas as horas do dia.
Turismo
  • Apoio a transformação do Aeroporto de Manaus em hub internacional de aviação para favorecer o turismo receptivo para a Amazonia.
  • Incentivo ao turismo em Roraima com a construção de um teleférico de 800 m de altura na parte brasileira do Monte Roraima, agregado a uma infra-estrutura turística para possibilitar o turismo nacional àquele sítio, um dos mais procurados no mundo e que só é possível visitá-lo, hoje, pela Venezuela.
Educação
  • Montagem de um Centro de Tecnologia do Pescado em Boa Vista para possibilitar conhecimento aos jovens no que se refere ao tema, incentivar a criação de peixes e transformar Roraima num centro produtor de referencia regional e internacional na produção e tratamento tecnológico do pescado visando sua exportação.
  • Incentivo aos indígenas de Roraima para que cursem a Universidade em todas as áreas do conhecimento e até com um Campus Universitário na Área Indígena Raposa/Serra do Sol.
  • Aproveitar a infra-estrutura universitária já existente em Roraima para tornar o Estado um Centro Nacional de Tecnologia Amazonica.
  • Dotar a Universidade Estadual de um Centro de Estudos da Geografia e da História de Roraima.
  • Incentivar o intercâmbio do estudo da língua inglesa e portuguesa entre Roraima e a Guiana.
Indústria
  • Apoio a reciclagem do lixo, com a construção, em Boa Vista, de uma usina de tratamento e reciclagem do lixo, assim como apoio aos catadores de latas de alumínio e de plástico.
Planejamento Urbano
  • Ação junto à cidade de Boa Vista para trabalho técnico de geo-referenciamento dos acidentes de transito, visando diminuí-los.
  • Ação junto às cidades do Estado para adoção obrigatória de planejamento urbano na construção de novos bairros e o respeito às calçadas como apoio aos cadeirantes que disputam espaço com os veículos.