VAMOS DISCUTIR: A regulamentação da venda de órgãos humanos

by

Existe um movimento na área médica tentando regulamentar a venda de órgãos humanos para transplante, segundo os que estão inseridos nesse movimento a discussão pública sobre a permissão de venda de órgãos pode permitir uma decisão mais bem informada sobre o assunto de grande importância moral e médica.

A informação do “The Independent” dá conta de que  estão em jogo as vidas de milhares de pessoas que podem morrer antes de um doador apropriado ser encontrado.

Mas existem sérias preocupações de que a introdução de pagamento para quem doa seus órgãos resulte em pessoas pobres e vulneráveis, submetidas a grande pressão para aliviar seus problemas financeiros com a venda de uma parte do seu corpo.  Outros acerditam que  um mercado devidamente regulamentado deve ser autorizado, para que o mercado negro de órgãos seja, se não destruído, pelo menos reduzido drasticamente.

O professor John Harris, um especialista em ética da Universidade de Manchester, acredita que o debate e a introdução de um mercado de órgãos já deviam ter sido discutidos. “A moral exige isso”, disse ele. “É hora de considerar. Milhares de pessoas morrem a cada ano [internacionalmente] por falta de órgãos. Essa é a medida de urgência do problema.”

“Ser pago não anula o altruísmo –os médicos não são menos cuidadosos porque são pagos. No sistema atual, todo mundo é pago, exceto o doador.”

Mas ainda há ainda uma forte oposição à liberalização do mercado. Os opositores concordam que deveria haver um debate público sobre as vantagens e desvantagens de um mercado de órgãos.

E você, aqui no Brasil, o que pensa disso? Daria certo ou abriria um mercado negro muito perigoso de órgãos humanos?